Edição 353Junho 2024
Sábado, 22 De Junho De 2024
Editorias

Publicado na Edição 352 Maio 2024

Divulgação

Sono ruim aumenta risco de glaucoma

Atenção nos casos de insônia, sonolência diurna, ronco...

Sono ruim aumenta risco de glaucoma

A oftalmologista Maria Beatriz Guerios afirma que existem explicações biológicas plausíveis que associam os distúrbios do sono e glaucoma, conforme estudo publicado no Bristish Medical Journal, que concluiu que o sono de má qualidade, a insônia, a sonolência diurna e o ronco podem gerar risco maior de desenvolver a doença. “Uma das principais relações do sono com o glaucoma é que os danos glaucomatosos são causados pelo aumento da pressão intraocular (PIO)”, explicou Maria Beatriz, que é especialista em glaucoma: “Quando estamos deitados, a pressão dentro do olho aumenta. Este aumento também ocorre quando há um desequilíbrio em certos hormônios do sono, como a melatonina”. Ela acrescenta que a insônia ou o sono de má qualidade também é mais prevalente em pessoas com depressão e ansiedade: “Nesta população também temos produção desregulada de cortisol, que pode elevar a PIO. O ronco, nome popular para a apneia do sono, tem um outro mecanismo de danos no nervo óptico. Neste caso, o glaucoma tem relação com episódios repetitivos e prolongados de falta de oxigenação no nervo óptico”. Existe outra hipótese relacionada ao estresse causado pela insônia, que pode estimular a secreção de neurotransmissores, influenciando a regulação da PIO e do fluxo sanguíneo.

Maria Beatriz reforça que melhorar o sono representa prevenir o glaucoma: “Felizmente, a má qualidade do sono e outros distúrbios, como a apneia do sono são modificáveis ou tratáveis. Portanto, as descobertas deste estudo reforçam a importância de diagnosticar e tratar os problemas do sono, principalmente em pessoas com outros fatores de risco para desenvolver glaucoma”.

O estudo associa a duração curta ou longa do sono a um risco aumentado de glaucoma de 8%; a insônia de 12%; o ronco de 4% e a sonolência diurna frequente de 20%. Em comparação com pessoas com um padrão de sono saudável, os que roncam e aqueles que experimentam sonolência diurna tinham 10% mais probabilidade de ter glaucoma, enquanto os insones e aqueles com um padrão de duração de sono curta/longa tinham 13% mais probabilidade de ter glaucoma.

Responder