Edição 353Junho 2024
Segunda, 24 De Junho De 2024
Editorias

Publicado em 31/12/2022 - 7:00 am em | 0 comentários

Divulgação

Comemoração do Ano Novo Chinês pode impactar comércio exterior

Ano do Coelho: programar é a chave do negócio

Comemoração do Ano Novo Chinês pode impactar comércio exterior

O Ano Novo Chinês começa em 22 de janeiro. A confraternização é uma das mais populares da cultura chinesa e, apesar de o feriado oficial durar três dias, é comum os trabalhadores reservarem as férias para prolongar o período de celebração. Em razão desse e de outros fatores associados às festividades, parte das fábricas paralisa as atividades por mais tempo, o que pode impactar linhas de produção em outras partes do mundo, por conta da importação de insumos e matérias-primas do país.

Além de ser o maior parceiro comercial do Brasil, o país asiático possui enorme influência na economia global. É o maior exportador do mundo e o ritmo de crescimento das importações tem batido as maiores marcas da década, mesmo com o cenário afetado pela pandemia e o período de fronteiras fechadas.

A logtech Nowports orienta seus clientes a planejarem a importação dos itens da China. “A partir da gestão dos estoques é possível adiantar as entregas ou postergar para depois do término do feriado do Ano Novo Chinês. Programação é a chave do negócio. Adiantar-se em relação aos pedidos minimiza os riscos e eventuais atrasos na cadeia logística”, afirma a head of pricing da Nowports Brasil, Bruna Horstmann.

É impossível falar de comércio exterior sem mencionar a China. No terceiro trimestre de 2022, o Brasil importou US$ 17,5 bilhões, o que representou 23,1% do valor total no período. A China representou o maior aumento do valor das importações, 40,5%. Os produtos que contribuíram para esse resultado foram: processadores e controladores; herbicidas, conversores elétricos estáticos, entre outros. Os dados são do Boletim Trimestral da Balança Comercial Brasileira da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia.

“A China é uma superpotência econômica internacional e com uma atuação forte nos setores industriais e no comércio de tecnologias. Dada a importância do país para as balanças comerciais, quem negocia com fornecedores ou exporta para o país precisa fazer um planejamento minucioso para não perder as datas”, pontua Helmuth Hofstatter, CEO da Logcomex.

Leonardo Baltieri, co-CEO da Vixtra, fintech de comércio exterior, concorda que o planejamento é crucial para evitar atrasos: “As transações financeiras devem ser pouco impactadas pelas festividades, já as operações comerciais podem sofrer não só com atrasos, mas também com eventuais custos adicionais. Por isso, é indispensável se organizar com antecedência”.

Apesar do aumento dos casos de Covid e dos protestos por parte da população contra as restrições impostas pela política de Covid zero do governo chinês, a Nowports acredita que essa situação não prejudicará a importação dos itens e acordos firmados com os parceiros comerciais. “Situações parecidas como essa, no passado, não prejudicaram o comércio exterior”, acrescenta a head of pricing da logtech.

Responder