Edição 353Junho 2024
Segunda, 24 De Junho De 2024
Editorias

Publicado na Edição 350 Março 2024

Não foi Tabajara!

Ao que tudo indica (pelo andar da carruagem, diriam os mais afeitos à escrita antiga), a tentativa de golpe que a Polícia Federal apura vai deixando o termo “suposta” cada dia mais longe. É certo que faltam conclusões, e a estas devemos aguardar, mas o quadro atual vai se desenhando de forma politicamente desfavorável aos ex-inquilinos do Palácio do Planalto. A “tentativa Tabajara”, expressão que o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), usou para desqualificar um suposto movimento contra a legalidade caiu no folclore. A troça foi uma espécie de vingança contra o grupo que, segundo se apura, queria prendê-lo. Os depoimentos de militares, agora sem sigilo, levam a crer que os comandantes do Exército e da Aeronáutica seguraram a onda, evitando assim o rompimento da ordem constitucional que visava impedir o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de assumir o mandato conquistado nas urnas. Fato é que tais acontecimentos são de uma seriedade ímpar. O que se espera e se impõe neste momento é que o STF aja com absoluta serenidade, à luz da lei, imputando responsabilidade e punição exemplar a todos os elementos que atentaram, de forma vil, contra a Democracia – o bem maior na formação de nossa cidadania.

Responder