Edição 316Maio 2021
Sexta, 18 De Junho De 2021
Editorias

Publicado na Edição 315 Abril 2021

Oligopólio no setor de bebidas

O setor de bebidas no Brasil é caracterizado por ser um oligopólio, ou seja, poucas empresas possuem a maior fatia de mercado disponível. Essas empresas atualmente são Coca-Cola e Ambev, que juntas detém uma fatia acima de 70% do mercado geral de bebidas brasileiro. Segundo o presidente da Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), Fernando Rodrigues de Bairros, essa característica de mercado traz prejuízos à concorrência, inicialmente por causar uma barreira à entrada de novos competidores, uma vez que devido à concentração é necessário um elevado investimento em marketing e publicidade para se ganhar uma ínfima participação de mercado.

“Somado a isso, esse novo competidor fica à mercê do poderio econômico já existente dessas empresas, que podem facilmente realizar ações com objetivo de retirar pequenos concorrentes do mercado, seja por rebaixes de preço esporádicos e focados na região atendida pelo concorrente ou por solicitações de contratos de exclusividade com clientes específicos, práticas comuns no mercado brasileiro”, analisa Bairros.

Tais distorções impactam empresas já inseridas no mercado, que conseguem se manter minimamente competitivas por terem décadas de história em sua região, avalia o dirigente, para quem esse oligopólio não veio de forma “natural”, por meio de vantagens competitivas: “O que houve foi uma sucessão de interferências governamentais no setor, seja pela concessão de benefícios fiscais para poucas empresas escolhidas ‘a dedo’, seja pela autorização com justificativas técnicas, no mínimo, questionáveis, de fusões de empresas do segmento de bebidas”.

Responder