Edição 293Junho 2019
Segunda, 22 De Julho De 2019
Editorias

Publicado na Edição 289 Fevereiro 2019

Divulgação

Bom rendimento

Creta: aparência moderna, bancos de couro, volante multifuncional e painel recheado de boas opções

Bom rendimento

Nelson Tucci

Em alguns modelos a diferença entre a motorização 2.0 e a 1.6 é enorme. Nesses casos, dá vontade de descer do carro e empurrar. Mas não é o que acontece com o Creta, o mini SUV da Hyundai. Já tínhamos avaliado o motor 2.0 e esperávamos menos do 1.6, no entanto veio uma boa surpresa.

Com potência de 130 cv (etanol), o modelo Pulse Plus 1.6, de 16 válvulas, rende bem. À exceção de duas subidas, em que o câmbio automático fez reduzidas perceptíveis, quase não se sente a diferença.

De moderna aparência, bancos de couro, volante multifuncional e painel recheado de opções, o modelo proporciona uma honesta dirigibilidade. O Creta oferece espaço interno (quatro adultos e uma criança é o ideal) e conforto. A suspensão é um pouco dura para quem se vê em um automóvel, mas razoável para o SUV.

A direção elétrica, espelhos retrovisores retráteis e uma correta câmera de ré contribuem favoravelmente com o/a motorista. Os sensores dão uma bela força e… a uma temperatura externa de 39° tem-se a certeza de que nestas condições – que me perdoem os dóceis cãezinhos – o ar condicionado é o melhor amigo do homem!

Os bancos traseiros são rebatíveis, o que ajuda, e muito, em ocasiões específicas, e o porta-malas de 431 litros faz bonito para um mini SUV. Durante a nossa avaliação, ele fez 6 km/l na cidade e rodou à média de 11,5 Km/l na estrada, sempre a etanol.

Encerrando o ano passado na liderança de seu segmento, com 4.920 emplacamentos, pode-se dizer que o modelo, lançado em 2016, está se saindo bem na foto.

Leia Veículos & Negócios atualizada semanalmente em www.veiculosenegocios.blogspot.com.br

Creta proporciona boa dirigibilidade