Edição 279Abril 2018
Segunda, 21 De Maio De 2018
Editorias

Publicado na Edição 240 Janeiro 2015

Divulgação

“Verdes” já são 10% do PIB do setor

Shopping RioMar Fortaleza: projeto do Grupo JCPM

“Verdes” já são 10% do PIB do setor

O valor das construções com projetos registrados para receber certificações de obra sustentável, os chamados prédios “verdes”, atinge 10% do total do PIB de edificações – subdivisão do PIB da construção civil que exclui obras de infraestrutura. Em 2010, os prédios “verdes” não ultrapassavam 3% do PIB setorial. O valor total dos imóveis que reivindicam o selo sustentável atingiu R$ 13,6 bilhões em 2012, em comparação com um PIB de edificações de R$ 163 bilhões no mesmo período, segundo estudo realizado pela EY, a antiga auditoria Ernst & Young.

O levantamento compreende dados sobre a movimentação econômica da construção verde no Brasil e evidencia aumento da participação de empreendimentos sustentáveis na composição do PIB de Edificações ao longo dos últimos três anos.

Segundo Ana Rocha Melhado, diretora da consultoria proActive, quando os projetos certificados começaram a ser desenvolvidos, as construtoras viam esse tipo de investimento como custo adicional: “Hoje já entendem que o investimento feito a curto prazo pode até ser maior, mas ele é recuperado na velocidade de venda das unidades ou na eficiência de gestão na fase de operação do empreendimento, por exemplo, além de reduzir em até 10% os custos de manutenção em um condomínio, em razão da gestão eficiente da água e da energia, por meio da redução do consumo”.

O mercado de construções verdes atinge diversos segmentos, como escolas, hospitais, estádios e edificações comerciais, residenciais, entre outros, e os fundos imobiliários têm incluído a certificação como exigência para receber investimentos. Assim, além de colaborar com o meio ambiente e com a qualidade de vida de seus usuários e vizinhos, esses empreendimentos agregam vantagens financeiras.

Responder