Edição 284Setembro 2018
Quarta, 17 De Outubro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 278 Março 2018

Acervo FAMS

A casa da solidariedade santista

Primeiro prédio da Associação Anália Franco, construído a partir de 1925

A casa da solidariedade santista

Nos anos iniciais do século 20, a cidade de Santos crescia vertiginosamente, em função do pujante comércio, em especial do café, que passava pelo porto. Junto com o progresso e o desenvolvimento sobreveio uma enorme massa de trabalhadores que, aproveitando as oportunidades de trabalho, se instalava nas periferias e bairros operários. Nessas famílias humildes, geralmente todos trabalhavam, inclusive as mulheres. Por isso, já naquela época vagas em creches e escolas de tempo integral eram muito disputadas.

Os santistas já tinham uma larga experiência no campo da assistência às crianças “desvalidas”, em razão das devastadoras epidemias que ceifaram milhares de pessoas entre 1880 e 1900. Desde a segunda parte do século 19, então, a cidade viu surgir várias instituições, como a Associação Creche Asilo Anália Franco.

Como todas as associações do gênero, começou pequenina, num espaço situado na Rua do Rosário, 537 (atual João Pessoa), fundada em 1917 e reorganizada a partir de 28 de junho de 1922, quando passou a ser presidida por Julieta dos Santos.

Os prédios da Ana Costa

Com o aumento da demanda, a entidade precisou de um novo espaço. Para isso, os seus membros resolveram criar um associação, sob o comando de Adelino Ferraz de Barros. Uma campanha ampla foi desenvolvida para a compra do terreno na avenida Ana Costa, 277, o que possibilitou o lançamento da pedra fundamental da edificação em 23 de agosto de 1925.

O segundo prédio começou a ser construído em 27 de janeiro de 1939, como parte das comemorações aos 100 anos da elevação de Santos à condição de município.

Referência em solidariedade e qualidade

O Anália Franco foi por décadas a maior referência em atendimento assistencialista da cidade de Santos. Sua estrutura impressionava todo o Estado de São Paulo. Além dos dois prédios de grande dimensão, o complexo oferecia quadras poliesportivas, consultórios médicos, dentários, oficinas profissionalizantes e uma educação considerada de primeira qualidade.

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br