Edição 308Setembro 2020
Segunda, 26 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 308 Setembro 2020

Transfusão de sangue é processo delicado

Transfusão de sangue é processo delicado

Cão doador ter entre um a sete anos

A transfusão sanguínea é o procedimento pelo qual se realiza a transferência de sangue total ou produtos sanguíneos de um doador para um receptor. O uso dos componentes sanguíneos permite que mais de um paciente se beneficie de apenas um doador e reduz os riscos de reações contra outros componentes desnecessários. O pet doador deve ser saudável, bem nutrido, livre de ectoparasitas e com vacinação e vermifugação em dia e, não deve apresentar histórico de doações anteriores.

A coleta de sangue ocorre por venopunção única e o local da coleta deve ser preparado com tricotomia e antissepsia cirúrgica, pelo sistema aberto ou fechado. Nos cães podem ser encontrados sete grupos sanguíneos padronizados internacionalmente e em felinos foram descritos três tipos sanguíneos.

Assim como para nós, a transfusão sanguínea veterinária é um processo delicado. Além de avaliar as condições de saúde do pet que receberá a doação, é preciso também realizar testes de compatibilidade com o doador.

A transfusão de sangue em cachorro é exige procedimento lento no qual o veterinário deverá ficar atento a possíveis reações, como taquicardia, salivação, hipotensão, entre outros. Por isso, a transfusão só deve ser realizada em clínicas e hospitais veterinários equipados e com profissionais preparados. Terminada a transfusão, o pet que a recebeu deverá ficar internado por, no mínimo, 24 horas para observação.

Ainda que os bancos de sangue veterinário precisem muito de doações, não são todos os pets que podem contribuir. Isso porque o cão ou gato precisa estar em perfeitas condições de saúde tanto para evitar problemas no receptor quanto para não se prejudicar com a doação. Além de atender aos pré-requisitos, os pets doadores passam também por uma triagem e por exames laboratoriais.

O cão doador ter entre um a sete anos e pesar mais que 25 kg, enquanto o gato doador ter entre um a oito anos e pesar mais de 5 kg. Um pet de temperamento mais calmo e tranquilo ideal por assim se torna desnecessário o uso de sedativos, anestésicos, o que diminui os riscos do procedimento.

Eduardo Ribeiro Filetti é médico veterinário e professor universitário, especialista em Saúde Pública, pós-graduado em Saúde Pública e em clínica de pequenos animais, especialista em cirurgia e odontologia veterinária, fitoterapeuta.

————————————————————————————————————

Mau hálito pode ser alerta para a saúde do pet

SE o seu melhor amigo de quatro patas apresenta mau hálito com frequência pode ser um indicativo de alerta para a saúde. O “bafo” constante pode ser sinal de infecção, que afeta não só a estética, mas principalmente a saúde do animal. Por isso é importante realizar periodicamente uma consulta com especialista em odontologia veterinária. “As doenças causadas por bactérias e inflamações são responsáveis por 85% dos problemas na cavidade oral dos pets”, alerta Mariana Lage-Marques, da Seres, do Grupo Petz.

Responder