Edição 285Outubro 2018
Quarta, 21 De Novembro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 278 Março 2018

Luiz Carlos Ferraz

“Posse responsável” exige reflexão!

“Posse responsável” exige reflexão!

Um amigo que te acompanhará por muitos anos

SE o leitor já decidiu ter um bichinho de estimação – e sabe a dimensão do conceito de “posse responsável” –, é fundamental avaliar a raça e suas características, para que sejam adequadas ao espaço disponível, assim como ao estilo de vida da família.

Afinal, se houve um tempo em que as pessoas consideravam o pet como “de guarda” e depois como “animal de estimação”, hoje ele é considerado efetivamente um membro da família, e nesta condição deve receber todos os cuidados.

Além de muito carinho, é preciso atenção especial à vacinação e tratamentos preventivos para evitar enfermidades.

Devem ser reservados recursos para o custo de alimentação de boa qualidade, banhos, produtos de higiene; e haver tempo para que possa interagir com o pet e lhe dar atenção, não esquecendo da necessidade diária de passeios.

Deve ser também bastante considerado que o tempo de vida de cães e gatos pode chegar a mais de 15 anos, ou seja, é um amiguinho que acompanhará a família por muitos anos…

 

Cuidado com o mosquito…

Palha: proliferação em ambientes com material orgânico

MAIS uma doença transmitida por mosquitos preocupa a Baixada Santista. Trata-se da leishmaniose, transmitida pelo mosquito-palha (que prolifera em ambientes com material orgânico), que já causou a morte de duas crianças no Guarujá e tem o cão como principal reservatório do parasita. É possível o tratamento do animal, mas a cura definitiva ainda não existe. O tratamento é feito com o remédio Milteforan, que elimina a leishmania da pele do cachorro, cessando a transmissão da enfermidade. Ou seja, diminui a carga parasitária do pet mais não promove sua cura. Um frasco com 60 ml custa em torno de R$ 1,2 mil. Já o tratamento para seres humanos é feito com remédios de uso exclusivo hospitalar.