Edição 310Novembro 2020
Domingo, 29 De Novembro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 309 Outubro 2020

Confinado em casa com seu pet!

Confinado em casa com seu pet!

Exercícios físicos são importantes para ambos

“EM tempo de isolamento social, ter seus humanos confinados dentro de casa é o prêmio máximo da loteria de muitos pets”, afirma a professora de Educação Física Ana Zattar, do Centro Universitário Internacional Uninter: “Companhia garantida, troca de carinhos que alimentam a afetividade tão deficitária de abraços e beijos que a sociedade pré-pandemia estava habituada”.

Ana recorreu a estudos realizados por especialistas, que afirmam que ter seu bichinho por perto, principalmente cães e gatos, durante o período de trabalho, pode trazer benefícios, como o aumento da produtividade por eles ajudarem a aliviar a tensão e o estresse. Ela alerta, contudo, que é fundamental criar hábitos e rotinas com o fiel companheiro para que o foco não se perca e o rendimento no trabalho seja afetado. Veja as dicas:

. Crie uma rotina com seu pet. Seja disciplinado com as regras, permissões, limites e combinados.

. Carinhos e brincadeiras em momento de home office devem ser evitados. Essa rotina faz com que o animal aprenda que no horário em que o tutor estiver trabalhando a atenção não é dele.

. Outra atividade que você pode implementar em sua rotina diária é o passeio/caminhada com seu pet, se for o caso. Exercícios físicos são importantes para ambos e não devem ser deixados de lado em nenhum momento, com ou sem pandemia. Assim você se mexe e ele também.

. Durante a jornada de trabalho, em suas pausas para o banheiro ou água, você pode dar atenção ao seu pet.

. Em alguns casos, em que o animal mostra um comportamento agitado, o humano e o pet devem ficar em cômodos separados durante o home office.

Cães e gatos: mais de 112 milhões em 10 anos

POPULAÇÃO total de cães e gatos no Brasil deve chegar a 112,5 milhões até 2030, o que representa quase 26% a mais do que a população total de pets em 2019. Os dados referem-se à atualização de pesquisa da Fundação Getúlio Vargas para a Comissão de Animais de Companhia (Comac) do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal, que aponta as consequências das mudanças de comportamento do consumidor nos últimos anos para o número de animais de companhia e para o crescimento do mercado de medicamentos pet no Brasil. De acordo com o último índice divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as populações de cães e gatos são de 54 e 24 milhões, respectivamente. Com a tendência de crescimento apontada no estudo, em 10 anos o número de cães seria de 70,9 milhões e, no caso de gatos, 41,6 milhões.

Responder