Edição 311Dezembro 2020
Quarta, 20 De Janeiro De 2021
Editorias

Publicado em 26/11/2020 - 7:13 am em | 0 comentários

Divulgação

Vendas e lançamentos de imóveis novos crescem na Baixada Santista

VGV do período totalizou R$ 2,032 bilhões

Vendas e lançamentos de imóveis novos crescem na Baixada Santista

O Estudo Secovi do Mercado Imobiliário da Baixada Santista mostra que foram vendidas em quatro municípios da Baixada Santista (Santos, Guarujá, São Vicente e Praia Grande) 5.084 unidades residenciais novas entre julho de 2019 e junho de 2020. O volume é 64,1% superior ao período anterior, quando as comercializações totalizaram 3.099 unidades. Os lançamentos também cresceram no mesmo período e totalizaram 4.021 novos imóveis. O resultado representa um aumento de 7,3% em relação aos 3.748 imóveis apontados no levantamento anterior.

O trabalho foi realizado pelo Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação em parceria com a Brain Inteligência Estratégica.

O VGV (Valor Global de Vendas) do período totalizou R$ 2,032 bilhões, volume 71,2% acima do verificado no levantamento passado, quando atingiu a marca de R$ 1,187 bilhão. Também houve melhora no indicador VSO (Vendas Sobre Oferta): nos 12 meses analisados, a porcentagem de vendas em relação ao total de unidades ofertadas ficou em 53,7%, superando os 46,8% registrados no intervalo anterior e representando um crescimento de 14,7%.

Segundo o diretor regional do Secovi em Santos, Carlos Meschini, o período analisado reflete um momento em que o mercado vinha de um processo de recuperação em relação aos anos anteriores. Com a quarentena e o consequente fechamento de estandes de vendas, no entanto, houve um impacto significativo no setor. “Observamos uma queda acentuada nas vendas durante o período mais agudo do isolamento social. Com o retorno das atividades, estamos retomando o ritmo de vendas e lançamentos, com perspectivas positivas para o final deste ano e o início de 2021”, comentou.

Os imóveis de 2 dormitórios lideraram no período analisado pelo estudo, com a maior quantidade de lançamentos (1.462 unidades), de vendas (2.320 unidades), de oferta final (1.989 unidades) e o maior VGV (R$ 997,3 milhões). O melhor desempenho em comercialização foi dos imóveis de 1 dormitório: 64,7% de VSO.

No período, os imóveis com metragem até 45 m² lideraram em lançamentos (1.426 unidades). Entre os imóveis de 45 m² e 65 m² de área útil, os destaques ficaram em vendas (1.450 unidades) e no melhor desempenho de comercialização, com VSO de 57,5%. Os imóveis com metragem entre 65 m² e 85 m² tiveram maior participação na oferta final (1.145 unidades). Já em termos de valores, o destaque ficou com os imóveis com metragem entre 85 m² e 130 m² (R$ 638,3 milhões).

Os imóveis com preços entre R$ 230 mil e R$ 500 mil destacaram-se em quase todos os indicadores. No período analisado, lideraram em vendas (2.443 unidades), oferta final (2.054 unidades) e valores (R$ 862,7 milhões). Imóveis com preço inferior a R$ 230 mil registraram a maior quantidade de lançamentos (1.585 unidades). O melhor desempenho de comercialização foi dos imóveis com valores entre R$ 750 mil e R$ 900 mil, com VSO de 57,7%.

Considerando-se de julho de 2017 a junho de 2020 foram lançados 14.181 imóveis residenciais. Destes, foram comercializadas 9.792 unidades, que correspondem a 69% dos imóveis ofertados no intervalo analisado. As vendas atingiram um montante de R$ 3,806 bilhões. O produto que mais se sobressaiu no período, tanto em lançamentos como em vendas, foi o de imóveis de 2 dormitórios, com metragem entre 46 m² e 65 m² de área útil e preço entre R$ 230 mil e R$ 500 mil.

Em junho de 2020, o preço médio de venda por metro quadrado dos imóveis residenciais nas cidades de Santos, Guarujá, São Vicente e Praia Grande foi de R$ 5.877 para 1 dormitório, R$ 4.166 para 2 dormitórios econômicos, R$ 5.419 para 2 dormitórios e R$ 6.646 para 3 dormitórios. Os valores médios de venda dos imóveis praticados no período de 36 meses (julho de 2017 a junho de 2020) foram: R$ 208.278 (1 dormitório econômico), R$ 300.138 (1 dormitório), R$ 196.548 (2 dormitórios econômicos), R$ 411.367 (2 dormitórios), R$ 774.979 (3 dormitórios) e R$ 1.873.629 (4 dormitórios).

Responder