Edição 304Maio 2020
Sábado, 06 De Junho De 2020
Editorias

Publicado em 1/04/2020 - 7:16 am em | 0 comentários

Divulgação/Secom-PMS

Santos terá pacote de incentivos às empresas para enfrentar Covid-19

Paulo Alexandre: negociações por teleconferência

Santos terá pacote de incentivos às empresas para enfrentar Covid-19

A prefeitura de Santos apresentará nos próximos dias proposta econômica para atenuar os impactos ao setor produtivo da cidade, com o objetivo de garantir o emprego e a condição financeira das empresas em função das restrições de isolamento social e a suspensão de atividades para o combate ao novo coronavírus. Este foi um dos resultados da reunião, via teleconferência, realizada entre o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, empresários, sindicalistas e associações de classe.

Em outra teleconferência envolvendo as nove prefeituras que integram o Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb) ficou decidido que serão realizadas compras conjuntas de insumos para o atendimento aos pacientes de Covid-19. O objetivo é adquirir em maior quantidade e, consequentemente, reduzir os custos. O grupo voltará a se reunir no próximo sábado para analisar a evolução da pandemia e avaliar a possibilidade de retomada “escalonada e gradual” das atividades comerciais a partir de segunda-feira 7 – data que termina o período de quarentena estabelecido pelo governo do Estado.

“As restrições estão mantidas. Enquanto isso, continuaremos em contato com sindicatos do comércio e com os líderes do setor de prestação de serviços para estabelecermos a abertura de uma maneira que mantenha a população em segurança”, disse o prefeito de Santos e presidente do Condesb, Paulo Alexandre Barbosa, após reunião por videoconferência com os chefes de Executivo das demais cidades.

Ao governo do Estado, os prefeitos solicitarão maior celeridade na conclusão dos exames PCR, que confirmam ou descartam a infecção dos pacientes pelo novo coronavírus. “Estamos lidando com um tempo maior que o razoável para receber os resultados. Nosso pleito é por mais agilidade”, explica Paulo Alexandre.

Para minimizar o problema no município, Santos adotou uma medida: desde ontem os exames de pacientes com suspeita de Covid-19 internados em unidades de saúde municipais passarão a ser analisados em laboratório particular, contratado pela Secretaria de Saúde (SMS). A necessidade inicial da SMS é de até 20 mil testes, que serão pagos à medida que forem realizados, ao custo de R$ 150 cada.

Outra ação para controle do vírus será o mapeamento das demandas regionais para a devida estruturação dos leitos hospitalares em implantação no momento, seguida de um pedido de ajuda ao Estado e à União para a aquisição de aparelhos respiradores, atualmente em falta no mercado.

Em relação à retomada das aulas nas redes municipais, considerando a parcela de educadores que atuam em mais de uma cidade, será definido um calendário único para a Baixada Santista, com base em resoluções estaduais e federais.

Confira as quatro resoluções adotadas ontem, válidas para as nove cidades da região:

1 – Aquisição de insumos. Para ganhar escala e reduzir custos, as prefeituras vão trabalhar em conjunto na compra dos insumos da saúde. As prefeituras também solicitam maior rapidez do estado nos exames do PCR para possível detecção do coronavírus.

2 – Comércio. As cidades vão manter as restrições impostas pelo Estado em relação à quarentena até o dia 7 de abril. No próximo sábado, após avaliação da evolução dos casos, será estabelecido diálogo com sindicatos, associações comerciais, a fim de criar um plano regional para preparar o retorno gradativo dos estabelecimentos comerciais, trabalhando de forma escalonada, controlada e gradual.

3 – Educação. Devido à interligação das redes municipais, com profissionais trabalhando em mais de uma cidade, será estudado em nível regional, um calendário único para os municípios, a partir das definições em nível Estadual e Federal.

4 – Estrutura hospitalar. Mapeamento das demandas regionais para estruturação completa dos leitos hospitalares em implantação, para que tenham todos os insumos e equipamentos necessários, como respiradores, produto em falta no mercado, solicitando transparência dos dados e mais apoio do estado e da União.

Responder