Edição 279Abril 2018
Segunda, 21 De Maio De 2018
Editorias

Publicado em 26/04/2018 - 8:44 am em | 0 comentários

Reprodução

Programa vai selecionar e investir em 50 startups de diversos setores

Conecta: valores podem chegar a R$ 460 mil por empresa

Programa vai selecionar e investir em 50 startups de diversos setores

O período de inscrições para o programa Conecta, iniciativa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em parceria com o BMG UpTech, braço do Grupo BMG voltado para a inovação, termina na segunda-feira, 30. O objetivo é impulsionar startups que tenham projetos inovadores para o setor de transporte e logística do Brasil, nos segmentos aéreo, aquaviário, ferroviário e rodoviário, incluindo todo o seu entorno (áreas de saúde, educação, bem-estar, fintech, entre outros). Os interessados podem se inscrever pelo link www.conecta.cnt.org.br

O benefício para os selecionados é um aporte financeiro que pode chegar a R$ 460 mil por empresa, além de aceleração internacional no Vale do Silício (Estados Unidos), mentorias de alto nível e capacitação dos gestores na Fundação Dom Cabral (FDC), considerada a melhor escola de negócios da América Latina e 12ª do mundo, de acordo com ranking do jornal britânico Financial Times. Os empreendedores ainda terão a oportunidade de estar em conexão direta ou indireta com possíveis clientes, o que envolve toda a rede da CNT.

Idealizado pelo presidente da CNT, Clésio Andrade, o Conecta busca startups maduras, nacionais e internacionais, que desenvolvam projetos capazes de promover a superação de desafios, além de benefícios para toda a cadeia de transporte e logística do país. A expectativa é de que o projeto, considerado um dos maiores programas de investimento da América Latina, possa impactar todo o setor transportador, que hoje corresponde a um universo de mais de 200 mil empresas, 2 milhões de caminhoneiros e taxistas autônomos e mais de 3 milhões de empregados.

As soluções inscritas podem ter relação tanto com a atividade-fim ou processos internos das companhias de transporte (por exemplo, RH e jurídico), quanto contemplar as atividades acessórias a esses mercados. Nesse caso, alguns segmentos de interesse são gestão, sustentabilidade, odontologia, nutrição, psicologia, fisioterapia e educação, entre tantos outros.

Essas áreas são ligadas ao Sest Senat, que oferece capacitação profissional e assistência social para trabalhadores do transporte e, também, relacionadas ao ITL (Instituto de Transporte e Logística), entidade que atua na educação, pesquisa e inteligência para o setor transportador. A multidisciplinaridade do programa Conecta, portanto, abre espaço para startups de praticamente todos os setores da economia.

Conforme o diretor para Assuntos Internacionais da CNT, Harley Andrade, o Conecta é mais uma ação da entidade para promover a inovação no transporte brasileiro, com aproveitamento de oportunidades decorrentes das transformações tecnológicas. Por isso, conta com a chancela de três dos maiores players desse ecossistema no Brasil e na América Latina: além do BMG UpTech, a Bossa Nova Investimentos e a aceleradora Nxtp.Labs: “O que buscamos são alternativas inteligentes para o setor. Temos que provocar a criatividade e encontrar, lá fora, quem está produzindo soluções possíveis para problemas que temos mapeados em todos os modais”.

Entre os resultados esperados, o CEO do BMG UpTech, Rodolfo Santos, explica que estão a redução de custos, o ganho de eficiência e o estímulo à inovação: “Startup é uma empresa que atua em soluções bastante específicas focadas em resolver problemas reais, de forma prática, simples e com muita eficácia. A ideia, assim, é ir ao mercado para encontrar empreendedores que possam apresentar respostas assertivas para os desafios do transporte brasileiro”.

Santos ressalta que o Conecta não é um programa de aceleração de startups, mas de tração. Isso significa que as empresas participantes já devem ser maduras e estar em operação, com produtos e serviços disponíveis. A partir daí, receberão impulso para crescer, por meio dos investimentos e assessorias, com destaque para a parceria com a Fundação Dom Cabral. A instituição oferecerá aos 25 selecionados na fase 2 do Conecta uma capacitação em gestão, com foco nas dimensões individuais, organizacionais e de mercado. O objetivo é promover, ao longo de quatro meses, o desenvolvimento sustentável dos empreendedores para melhor performance e perenidade nos negócios.

O programa Conecta será desenvolvido em seis meses, aproximadamente, da seguinte forma:

Start: Logo após o período de inscrições, serão selecionadas até 100 startups, que passarão por entrevistas online, de caráter eliminatório;

Fase 1: até 50 startups a R$ 20.000 por startup e valuation de R$ 1 milhão. Duração: 1 mês (apenas um encontro presencial);

Fase 2: até 25 startups a R$ 210.000 por startup e valuation de R$ 3,5 milhões. Duração: 4 meses (8 encontros presenciais de 2 a 3 dias cada, sendo um dos dias dedicado à FDC);

Fase 3: até 5 startups a R$ 230.000 por startup e valuation de R$ 5,75 milhões. Duração: 1 mês em aceleração nos Estados Unidos.

Na 1ª fase, a startup que comprovar o recebimento de investimento no valuation superior a R$ 3 milhões ficará dispensada de ceder equity de 2% e ainda receberá o recurso.

Responder