Edição 273Outubro 2017
Domingo, 19 De Novembro De 2017
Editorias

Publicado em 5/04/2017 - 10:07 am em | 0 comentários

Divulgação

Pontos turísticos são interditados após confirmações de febre amarela

Mata de Santa Genebra, em Campinas, no interior de São Paulo

Pontos turísticos são interditados após confirmações de febre amarela

Por conta da confirmação de casos de febre amarela em pessoas ou da presença do vírus em macacos mortos, cinco pontos turísticos em regiões rurais de São Paulo estão interditados: Mata de Santa Genebra e o Tênis Clube, em Campinas; Observatório Municipal Jean Nicollini, em Joaquim Egídio; Clube Atlético de Araraquara, em Américo Brasiliense; e Trilhas da Mata dos Macacos, em Bady Bassit. O veto à visitação deve durar aproximadamente 15 dias, tempo para que o Ministério da Saúde dê um novo parecer a respeito, após análise do monitoramento que será realizado com os primatas.

Transmitida pela picada de mosquitos dos gêneros Haemagogus ou Sabethes infectados com o vírus, a febre amarela, se não tratada rapidamente, pode levar à morte em cerca de uma semana. “Por isso, vale ficar atento aos sinais que a doença provoca, que podem ser calafrios, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Para casos mais graves, os sinais mais frequentes são febre alta, icterícia e hemorragia”, alerta o biólogo Horácio Teles, do Conselho Regional de Biologia 1ª Região (SP, MT e MS), o CRBio-01.

Teles reforça que, apesar de algumas contraindicações, o principal meio de prevenção da doença é a vacina. “Recomendada para a população a partir dos seis meses de vida, uma única dose da vacina já é o suficiente para a proteção contra a doença”, explica o biólogo, ao frisar que a aplicação deve ocorrer o mais rápido possível, pelo menos nas áreas com o registro de epizootias e onde a circulação do vírus é endêmica.

Outro apelo do especialista é que não atentem contra a vida dos macacos: “Infelizmente, alguns animais já foram vítimas de violência e mortos por homens, equivocadamente apontados como culpados pela doença. Na verdade, os bichos são nossos aliados. Além de não serem os responsáveis pela transmissão da febre amarela, mas sim os mosquitos, eles nos ajudam a identificar os locais onde o vírus está presente, justamente porque são acometidos pela doença”.