Edição 319Agosto 2021
Terça, 21 De Setembro De 2021
Editorias

Publicado em 1/05/2021 - 7:01 am em | 0 comentários

Anderson Bianchi/Secom-PMS

Orçamento de Santos para 2022 prioriza investimentos na área social

PPA e LDO foram entregues à Câmara

Orçamento de Santos para 2022 prioriza investimentos na área social

Diante das incertezas e impactos gerados pela pandemia, o Orçamento de Santos para 2022 se manterá estável, com crescimento nominal previsto de 0,4% na comparação com o atual exercício de 2021 – passando de uma receita total de R$ 3,271 bilhões para R$ 3,284 bilhões. Um dos fatores que contribui para este cenário é o aumento estimado em 6,8% da arrecadação própria do município, puxado principalmente pelo aumento das exportações e evolução da receita do Imposto Sobre Serviços (ISS).

Este e outros indicadores constam nos projetos de lei do plano plurianual (PPA) para o período 2022 – 2025 e da lei de diretrizes orçamentárias (LDO) de 2022. As duas propostas foram entregues, pelo prefeito Rogério Santos ao presidente da Câmara, vereador Adilson Jr.

“Santos é uma das cidades que mais proporciona serviços à população e, diante da pandemia, tem dado exemplo de união de esforços e interação entre Prefeitura e Câmara para superarmos os inúmeros desafios”, disse Rogério, ao citar que a Administração Municipal tem promovido transparência e eficiência dos gastos públicos por meio de ações como o plano de metas.

O Orçamento de 2022 terá a destinação de mais de R$ 1,4 bilhão para as áreas da Saúde, Educação e Desenvolvimento Social.

As peças orçamentárias foram elaboradas pela Secretaria de Planejamento e Inovação (Seplan) com base nos índices de inflação (IPCA) e econômico (PIB), desenvolvidas em conjunto com os demais órgãos e secretarias municipais, e seguindo as demandas da população. Elas definem os macro-objetivos da Prefeitura para o período de quatros anos e os programas e ações do próximo exercício.

O PPA deve ser elaborado no primeiro ano de mandato do governo e, para o período 2022 – 2025, estão previstos 43 programas e 251 ações orçamentárias, entre eles, as políticas para as crianças e adolescentes, juventude e idoso, segurança e investimentos na rede de saúde.

Uma das novidades na elaboração do PPA é a vinculação dos programas e indicadores aos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), visando o acompanhamento local das metas da agenda mundial para o fim da pobreza, preservação da natureza e garantia da paz e prosperidade.

O secretário de Planejamento e Inovação, Fábio Ferraz, ressalta que as 423 propostas do plano de governo, discutidas com os munícipes durante o período eleitoral, também estão relacionadas no PPA e na LDO: “O plano de governo em Santos não é uma peça fictícia e os anseios dos cidadãos se refletem nas peças orçamentárias”.

Após a aprovação do PPA e da LDO pela Câmara, iniciam-se os trabalhos para elaboração do projeto da lei orçamentária anual (LOA), que prevê os recursos para execução das ações necessárias ao alcance das metas. Esta proposta deve ser enviada ao Legislativo até 30 de setembro.

Na LOA 2022, a quantia de R$ 3 milhões será reservada para 10 projetos escolhidos pelos munícipes (de até R$ 300 mil) por meio do programa Orçamento Participativo. Na segunda quinzena de maio, terá início a votação popular pela internet, cujas regras e formas de participação serão divulgadas em breve pelos canais oficiais de comunicação da Prefeitura.

RECEITA

Fonte de Recurso do Projeto LDO 2022

Tesouro Municipal – R$ 2.138,1 bilhões

Estaduais – R$ 269,2 milhões

Fundos – R$ 12,8 milhões

Federais – R$ 297,3 milhões

Outras – R$ 1,4 milhões

Operações de Crédito – R$ 54,1 milhões

Administração Indireta – R$ 511,0 milhões

Total – R$ 3.284,0 bilhões

Fonte de Recursos Próprios da Prefeitura do PLDO 2022

ISS – R$ 784,4 milhões

IPTU – R$ 540,4 milhões

ICMS – R$ 374,0 milhões

IRRF – R$ 134,5 milhões

Taxas – R$ 128,9 milhões

IPVA – R$ 98,6 milhões

ITBI – R$ 69,3 milhões

DESPESAS

Administração Direta (órgãos e secretarias municipais) – R$ 2.579.907.000

Administração Indireta (fundações, autarquias e empresas públicas) – R$ 588.410.000

Câmara Municipal – R$ 115.704.000

Total – R$ 3.284.021.000

Estes são os 10 órgãos da Administração Direta com mais recursos (*)

Secretaria de Saúde – R$ 729.907.000

Secretaria de Educação – R$ 683.433.000

Secretaria de Finanças – R$ 283.709.000

Secretaria de Serviços Públicos – R$ 277.442.000

Secretaria de Infraestrutura – R$ 180.129.000

Secretaria de Gestão – R$ 86.242.000

Secretaria de Desenvolvimento Social – R$ 72.084.000

Secretaria de Segurança – R$ 49.159.000

Secretaria de Meio Ambiente – R$ 35.544.000

Secretaria de Cultura – R$ 31.424.000

 (*) Valores incluindo as despesas fixadas na unidade orçamentária Encargos Gerais do Município (despesas comuns e compartilhadas entre as pastas como água, luz, despesas bancárias etc.).

Responder