Edição 308Setembro 2020
Segunda, 19 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado em 5/08/2016 - 11:15 am em | 0 comentários

Rodrigo Meneghello/Divulgação

Memorial apresenta Jerry Adriani em homenagem aos pais

Jerry: há seis anos longe dos palcos da Baixada Santista

Memorial apresenta Jerry Adriani em homenagem aos pais

Um dos ícones da Jovem Guarda, Jerry Adriani é a atração de domingo (14) na homenagem que a Memorial Necrópole Ecumênica, de Santos, programou para o Dia dos Pais. Há seis anos longe dos palcos da Baixada Santista, Jerry se apresentará nos jardins da necrópole, a partir das 19 horas, exibindo sua bela voz e estilo romântico, acompanhado de sua banda.

“Sempre fui recebido com muito carinho pelos santistas, e sei que desta vez não será diferente”, afirmou o ídolo da Jovem Guarda, que pela primeira vez estará cantando numa necrópole: “Não conhecia o Memorial e fiquei surpreso ao saber que se trata do ‘cemitério mais alto do mundo’ e também pelo trabalho que realiza nas áreas do esporte, cultura e social. O dia dos pais sempre será uma data especial para todos nós. Fico feliz em fazer um show nesta data, podendo assim homenagear todos os pais, inclusive o meu”.

Neste retorno ao público santista, Jerry preparou um repertório variado, partindo de sucessos italianos, como “Amore scusami” e “Volare”, recordando clássicos da Jovem Guarda, do tipo “Doce, doce amor”, “Festa de arromba”, “Rua Augusta”, “Vem quente que estou fervendo”, e reverenciando o pop brasileiro, com “Será” e “Monte Castelo”, de Renato Russo.

“Convidamos todos a participar desta viagem pela Jovem Guarda, para homenagearmos os pais com uma atração muito especial”, afirmou o presidente da Memorial, Pepe Altstut: “Será um espetáculo com recordações e saudades, e que certamente encantará os presentes, reafirmando nosso compromisso em divulgar o artista nacional”.

O programa festivo na Memorial terá início às 11 horas com missa celebrada pelo frei Rozântimo Antunes Costa, do Santuário Santo Antônio do Valongo, acompanhado de Célio Peres e banda.

A agenda da tarde começa às 16h30 com missa celebrada pelo monsenhor Francisco Leite, o padre Chiquinho, da Igreja São Judas Tadeu, acompanhado pelo Coral Magna Vox; às 17h30, haverá exibição de Djalma Sperandéo, cover de Tim Maia, e banda, com “Tributo a Tim Maia”. E, às 19 horas, as comemorações serão encerradas com Jerry Adriani e banda.

Toda a programação tem entrada gratuita e acontecerá nos jardins da necrópole. No período das 9 às 16 horas, a Droga Raia fará a aferição arterial e glicemia em pessoas interessadas. Em caso de chuva, há locais cobertos.

JERRY ADRIANI – Jerry começou sua trajetória artística em 1964, no Rio de Janeiro, com a gravação do primeiro LP “O Italianíssimo”, que era uma coletânea de músicas italianas. O sucesso, contudo, viria alguns anos mais tarde, na esteira do movimento criado a partir do programa “Jovem Guarda”, na TV, apresentado por Roberto e Erasmo Carlos e Wanderléa, e que revelou Cely e Tony Campelo, Sérgio Murilo, Ronnie Cord, Demétrius, Carlos Gonzaga, The Jordans, The Jet Blacks, entre tantos.

“Como em tudo que cresce demais, houve dissidências, e eu fiz parte de um desses grupos dissidentes da Jovem Guarda”, conta Jerry, ao lembrar que passou a apresentar, em parceria com Luiz Aguiar, um programa na TV Excelsior: “Fiz filmes, centenas de shows e participei de outros programas de TV, os mais importantes da época. Ao mesmo tempo, os fã-clubes se espalhavam por todo o Brasil”.

Jerry recorda, com entusiasmo, que a Jovem Guarda influenciou outros movimentos de música, como a própria Tropicália, e gêneros, como o rock nacional e a música romântica: “Chegamos, graças a Deus, a meio século de existência. E também graças ao público fiel e à Imprensa, que continuam abrindo espaço para nós: Ave, Jovem Guarda. A brasa não se apagou”.

DJALMA SPERANDÉO – Com uma potente voz, Djalma Sperandéo parece ter nascido para cantar Tim Maia. Começou na década de 1980, como baterista e cantor, em casas noturnas de Santos, mas foi ao tocar em bandas de alguns ícones da Jovem Guarda, como Jerry Adriani, Wanderley Cardoso e Martinha, que decidiu a carreira solo focado em Tim Maia.

Para homenagear os pais, Djalma cantará os muitos sucessos de Tim Maria, como “Descobridor dos sete mares”, “Não quero dinheiro” e “Azul da cor do mar”.

Além de pesquisar a vida e a discografia do ídolo, Djalma esteve duas vezes pessoalmente com ele, ao final de shows do cantor: no Clube Portuários, em Santos, e no Clube Beira Mar, em São Vicente. Djalma diz que divulgar o legado de um dos mais completos músicos brasileiros é primordial: “Se depender de mim, vou manter a memória de Tim Maia sempre viva”.

MEMORIAL – A Memorial Necrópole Ecumênica está incluída no “The Guinness World of Records”, o livro dos recordes, como a necrópole vertical mais alta do mundo. É também reconhecida pela Associação Internacional de Cemitérios como o mais completo, mais moderno e mais alto empreendimento do gênero no planeta.

Desde a sua implantação, a partir de 1983, a Memorial promove eventos socioculturais em datas especiais, como Dia de Finados, Dia das Mães e Dia dos Pais. Também desenvolve projetos de preservação ambiental e apoia a prática desportiva, incentivando diversas modalidades e colaborando com a qualidade de vida.

Serviço – A Memorial Necrópole Ecumênica está localizada à Av. Nilo Peçanha, 50, no Bairro Marapé, em Santos. Informações pelo telefone (13) 3257.3939, 3226.4900 e 0800.77.0.77.34 (24 horas) ou no site www.memorialsantos.com.br

Responder