Edição 327Abril 2022
Terça, 17 De Maio De 2022
Editorias

Publicado em 4/05/2022 - 12:05 pm em | 0 comentários

Divulgação

Jantar pelo Pantanal visa projeto de prevenção e boas práticas de gestão

Pantanal: prevenção de incêndios, reflorestamento...

Jantar pelo Pantanal visa projeto de prevenção e boas práticas de gestão

O Jantar pelo Pantanal acontecerá no próximo dia 15, a partir das 19 horas, no Laces Moema, na capital paulista. A campanha pelo bioma foi criada por ativistas do Fridays for Future Brasil e alerta para a urgência de se criar um projeto de prevenção e boas práticas de gestão de preservação local. Entre as medidas, programas de prevenção de incêndios, reflorestamento, criação de fundo emergencial e produção de documentário. Para consolidar este projeto o Fridays for Future Brasil tem como meta reunir R$ 700.000, por meio de ações e doações no site www.ajudapantanal.fund

O Jantar pelo Pantanal é uma iniciativa com apoio do Laces, que engloba um ecossistema pioneiro em ESG e tratamentos saudáveis para cabelos, desde 1987. A empresa foi convidada para estar na COP 27 (Conferência Climática das Nações Unidas), por conta de seu DNA pautado na sustentabilidade e respeito pela biodiversidade, tanto para produtos quanto tratamentos e espaços físicos. Com compromisso e responsabilidade ambiental e social, Itamar Cechetto e Cris Dios abraçam a campanha e recebem o jantar na unidade Moema.

O cardápio é assinado pelo chef Antônio Albanaze com ingredientes do pantanal. O programa inclui apresentações culturais e uma imersão ao universo pantaneiro. O jantar tem como objetivo sensibilizar os convidados e arrecadar doações com algumas contrapartidas, como a entrega do selo Amigo do Pantanal, vídeo agradecimento, homenagem em projeto de restauração e participação em documentário.

Como se sabe, a maior área úmida de água doce do mundo está sofrendo secas extremas desde 2019. A quantidade de água nas várzeas e rios está diminuindo, resultando em solo e vegetação extremamente secos e aumentando o risco de incêndios florestais. Esse cenário provavelmente se deve às sinergias negativas entre o desmatamento e o uso generalizado do fogo na Amazônia, alterando o ciclo hidrológico e reduzindo as chuvas em partes da bacia do Prata. De janeiro de 2020 até hoje, os vários incêndios florestais podem ter afetado pelo menos 65 milhões de vertebrados nativos e 4 bilhões de invertebrados, com base em densidades de espécies conhecidas. Entre as espécies afetadas incluem a onça-pintada ameaçada de extinção, o tamanduá-bandeira, o cervo-do-pantanal, a águia solitária coroada e a arara-azul.

Embora a mudança climática seja um dos principais fatores de eventos descontrolados de incêndios florestais em todo o mundo e a ignição natural do fogo possa ocorrer, no Pantanal cerca de 98% dos incêndios florestais atuais foram causados por atividades humanas, seja acidental ou criminosa. Os episódios projetados combinados com previsões de perda de até 74% da vegetação nativa até 2030, aumentam a probabilidade de secas severas no Pantanal e novos eventos catastróficos de incêndios florestais com impactos irreversíveis nos ecossistemas e serviços ambientais, bem como prejudiciais resultados sociais e econômicos.

“Nosso lindo bioma, que está se acabando a cada dia por conta de ações nocivas, agora pede ajuda para se manter vivo! Nós enquanto coletivo somos os únicos capazes de consertar o estrago. Se permitam sentir a energia e se conectar com o Pantanal, e jamais se arrependerão de lutar por algo tão especial e único no mundo”, avaliam os ativistas do Fridays For Future Brasil.

Responder