Edição 271Agosto 2017
Quinta, 21 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado em 6/03/2016 - 10:38 am em | 0 comentários

Memorial/Ivan Storti

Gideoni Monteiro conquista vaga olímpica no ciclismo de pista

Gideoni: equipe Memorial-Santos/Fupes na Rio/2016

Gideoni Monteiro conquista vaga olímpica no ciclismo de pista

Atleta da equipe Memorial-Santos/Fupes, Gideoni Monteiro, de 26 anos, conquistou ontem, no Mundial de Ciclismo de Pista, em Londres, na Inglaterra, uma vaga na prova Omnium das Olimpíadas Rio/2016, prova que determina o ciclista mais completo do ciclismo de pista. A classificação veio no penúltimo dia do Mundial, que foi disputado no mesmo velódromo dos Jogos Olímpicos de 2012. A participação do Brasil acontecerá após um jejum de 24 anos no ciclismo de pista, desde os Jogos Olímpicos de Barcelona/1992, quando o país foi representado por Fernando Louro na prova por pontos. Neste ano, embora sendo o país-sede, o Brasil não tinha vaga garantida no ciclismo de pista e nem havia recebido convite para participar na prova Omnium, pois um competidor lento no velódromo atrapalha quem briga pelos primeiros lugares. A Omnium acontece em dois dias de competição e é a prova mais complexa da modalidade de pista, exigindo resistência, velocidade e regularidade, em seis corridas de especialidades diferentes. “Estou muito feliz de conseguir essa vaga olímpica. Foram dois anos de muita luta. Agradeço a todos que me ajudaram, principalmente a Memorial, Prefeitura de Santos, Confederação Brasileira de Ciclismo, Comitê Olímpico Brasileiro e a Caixa, pelo apoio direto que me trouxe a tranquilidade necessária para chegar neste estágio. Boa parte dos ciclistas que vão estar nos Jogos estavam aqui em Londres, então foi muito bom encarar essa pequena prévia. Tivemos mais um dia muito complicado, mas fui conversando com o técnico e consegui me manter centrado para somar os pontos necessários para garantir o Brasil na Rio/2016”, contou Gideoni, que também será o primeiro brasileiro a representar o país na Omnium, prova que entrou para o cronograma do ciclismo de pista apenas na Olimpíada de Londres/2012: “A responsabilidade é grande e a pressão só vai aumentar daqui para frente, mas estou motivado e focado para poder representar muito bem o meu país. Agora vamos descansar e pensar na preparação para os Jogos.” A equipe Memorial-Santos/Fupes ainda tem no seu elenco atletas com o sonho de conquistar vagas nos Jogos, porém no ciclismo de estrada. Rafael Andriato (após 8 anos como profissional na Itália), Armando Camargo e Maurício Morandi no masculino, além de Ana Paula Polegatch e Camila Coelho no feminino. “Os critérios ainda não foram divulgados pela Confederação Brasileira de Ciclismo, porém um bom 1º semestre será fundamental para estes atletas lograrem êxito”, comentou o Coordenador Técnico da equipe, Claudio Diegues. Em Londres, no primeiro dia de provas, na sexta-feira, houve três disputas: scratch race (15 km), perseguição individual (42 km) e corrida de eliminação, em que o atleta da Memorial-Santos/Fupes terminou em 17º, 18º e 10º, respectivamente. Ontem, Gideoni voltou ao velódromo para mais três corridas: no 1 Km contra-relógio e na flying lap (volta lançada contra o cronômetro) terminou na 20ª posição. Na última prova, por pontos (40 km), conseguiu manter um bom ritmo, chegando a liderá-la em diversos momentos e fechou a disputa por pontos em 13º lugar. O vencedor foi o colombiano Fernando Gaviria, atual campeão pan-americano. O Mundial da Inglaterra era a última oportunidade para os ciclistas somarem pontos no ranking olímpico da UCI e apenas os 18 melhores países carimbavam passaporte para o maior evento poliesportivo do mundo. Gideoni encerrou a prova na 18ª posição, colocando o Brasil em 15º lugar no ranking olímpico, a frente de grandes adversários, como Espanha, México e Canadá. O atleta que está na equipe santista desde 2013 e mostrou mais uma vez que está em grande fase, mantendo a regularidade nas seis provas do programa desde as etapas de Copas do Mundo. Sua vitória recente no 30º Torneio de Verão de Ciclismo, no final de fevereiro, dava indícios de que a vaga estaria encaminhada. O melhor resultado brasileiro numa Olimpíada foi o 5º lugar de Anésio Argenton, em Roma, em 1960. A equipe Memorial-Santos/Fupes conta com co-patrocínio da Unimes, VZAN e Spiuk e apoio da ERT Uniformes, Clínica Ortocenter e MemorialStore.