Edição 293Junho 2019
Segunda, 15 De Julho De 2019
Editorias

Publicado em 5/07/2019 - 11:38 am em | 0 comentários

Raimundo Rosa/Secom-PMS

Empresários conhecem detalhes do projeto de revitalização da área central

Apresentação foi feita por arquitetos do escritório Jaime Lerner

Empresários conhecem detalhes do projeto de revitalização da área central

A versão preliminar de um projeto arquitetônico de revitalização de bairros da área central de Santos foi revelada na tarde de ontem, no Paço Municipal, a empresários, autoridades e sociedade civil. O assunto foi tema de capa na edição de junho do Jornal Perspectiva.

A apresentação foi conduzida por arquitetos do escritório Jaime Lerner, de Curitiba, contratados pelo Comunitas, uma organização de empresários que financia acordos de cooperação técnica para municípios.

A revitalização arquitetônica é pensada como forma de promover o desenvolvimento, fomentar a economia criativa, incentivar o turismo e fortalecer o senso afetivo dos santistas com a região.

Este foi o primeiro encontro com a equipe técnica do escritório, responsável por desenvolver projetos urbanísticos em importantes cidades do país, entre elas Curitiba e Porto Alegre. Até novembro, outros encontros serão realizados para ouvir as considerações e sugestões da população sobre as propostas apresentadas.

Nos cerca de 160 slides apresentados sugestões para a região do Porto, do Monte Serrat e do Mercado Municipal. Foi detalhada proposta de ligações entre esses espaços, incluindo a região do futuro Parque Tecnológico.

Na região portuária do Valongo, a proposta consiste na criação de uma praça elevada à 7 metros de altura e que conecta o Centro Histórico ao mar. A ideia ainda apresenta a possibilidade de alocar um navio de cargas desativado, para abrigar eventos culturais.

Quanto ao Monte Serrat, o intuito é incentivar a vocação de “mirante”, atraindo turistas e moradores com atrativos culturais e economia criativa. Foram sugeridos trabalhar com desenhos urbanos nas escadarias e criar ações para convidar a população a conhecer o local.

“Este será um processo de construção coletiva e participação. São várias ideias apresentadas, algumas poderão ser consolidadas, algumas aprimoradas e outras até descartadas. Precisamos da voz da população para construir esse processo de diálogo que se inicia hoje”, explicou Glaucus Farinello, secretário-adjunto de Desenvolvimento Urbano.

Empresário da região central, Rildo Santos fez sua contribuição aos técnicos: “O que vocês nos apresentaram é maravilhoso, mas seria interessante que incluíssem o Marco Zero, que é a Praça Mauá, à nova praça Valongo”. O arquiteto Felipe Guerra aprovou a iniciativa: “Precisamos ouvir os santistas, a gente enxerga muitos potenciais e queremos desenvolver o melhor projeto para a Cidade”.

A arquiteta Ariadne Daher ressaltou a viabilidade de execução das propostas: “Aqui em Santos a gente enxerga potenciais muito fortes para uma renovação urbana. Existe uma riqueza arquitetônica e de paisagens extraordinárias, que precisa ser reaproximada à rotina dos santistas. Este não é um projeto faraônico, tudo o que foi apresentado é plenamente viável”.

Dentro do contrato estabelecido com o Comunitas, além de projeto para a área central, o grupo ainda apresentará propostas para a área habitacional e expansão do Município para a Área Continental.