Edição 271Agosto 2017
Sábado, 23 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado em 1/09/2016 - 9:26 am em | 0 comentários

Reprodução

Em Paraty, um evento para todos os olhares

Paraty em foco: artistas, profissionais, entusiastas e amadores

Em Paraty, um evento para todos os olhares

A colonial Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, receberá de 14 a 18 de setembro a 12ª edição do Paraty em Foco. Com coordenação do fotógrafo italiano radicado na cidade, Giancarlo Mecarelli, o encontro reúne artistas, profissionais, entusiastas e amadores em torno de exposições, workshops, palestras e um leilão de fotografias.

Um dos homenageados será o fotógrafo mineiro Assis Horta, de 98 anos, que com seus registros de Diamantina foi uma espécie de precursor do Google Maps, mapeando com imagens toda a cidade, ajudando no tombamento federal do Centro Histórico, em 1938. Sem falar que foi ele o autor das fotos de centenas de trabalhadores locais quando, em 1943, a Carteira Profissional foi criada e tornou-se obrigatória. Foi ainda o responsável pela popularização dos retratos em estúdio fazendo o primeiro clique na vida da maioria dos diamantinenses mais humildes.

Uma exposição de parte da obra de Assis Horta vai ocupar a Casa de Cultura de Paraty, onde também vai ser montada uma reprodução do cenário no qual o fotógrafo retratava seus clientes. Lá, os visitantes poderão usar e abusar de selfies ou fotos com a família com seus próprios equipamentos. Tudo com a curadoria do fotógrafo e professor Guilherme Horta.

O destaque internacional será o fotógrafo russo Gueorgui Pinkhassov, da cooperativa Magnum Photos, e colaborador de diversos veículos estrangeiros, particularmente para as revistas Geo, Actuel e The New York Times Magazine. Radicado em Paris, ele vai participar de um workshop dia 17 (sábado), das 9 às 17h30, para 50 pessoas.

A masterclass deste mestre da cor e luz – fruto do projeto Magnum Caravan Brazil 2016, que leva a experiência dos integrantes da cooperativa pelo país – não se concentrará na carreira e realizações dele na profissão, mas em como ele pode contribuir e ajudar em apenas um dia o desenvolvimento dos trabalhos dos participantes. Pinkhassov vai basear sua apresentação na leitura/edição e discussão de 15 portfólios com a participação da classe.

Pinkhassov divide ainda uma mesa intitulada “A musa curiosidade” com a fotojornalista brasileira, Ana Carolina Fernandes. Integrante da agência Magnum, Pinkhassov vai apresentar imagens que ilustram seu lema: “Mesmo o estilo pode transformar o fotógrafo em um escravo se ele não fugir disto, pois estará condenado a repetir-se. A única coisa que conta é a curiosidade”.

Também conhecido por PEF (sigla de Paraty em Foco) o festival abre espaço para os amantes de fotografia terem seus trabalhos expostos junto aos de profissionais renomados. Uma convocatória selecionou 20 melhores trabalhos entre vários inscritos. Eles estarão numa galeria a céu aberto ao lado da igreja matriz, cartão postal da cidade.

Colecionadores também aproveitam o evento para adquirir obras de arte no já tradicional leilão, que nasceu com o festival em 2004 e tem curadoria de profissionais do mercado de arte e fotografia. “O pregão das imagens pretende, acima de tudo, estimular o colecionismo e ajudar a consolidar um mercado que cresce a cada ano”, explica Mecarelli.

Está na programação uma série de encontros e entrevistas abertos ao público no auditório da Casa de Cultura. Com entrada gratuita, as apresentações serão retransmitidas para vários pontos do centro histórico e via streaming para todo o mundo.

Entre a programação, uma entrevista comandada por Milton Guran, com os fotógrafos Antônio Guerreiro e Luiz Garrido. Batizada de “Retrato em dose dupla”, ela tem como tema 50 personagens que foram retratadas por ambos, como Sonia Braga, Sandra Bréa e Luiza Brunet, entre outras.

O casal Amyr e Marina Klink recebe os visitantes para uma palestra ilustrada sobre sua relação com o mar e as paisagens. No encontro, intitulado “Aventura sem fim: a fotografia na história das expedições”, o navegador e a fotógrafa ambiental falam sobre determinação e uma nova perspectiva de ver a vida.

D. João de Orleans e Bragança, fotógrafo e trineto de D. Pedro II, discorre sobre o desenvolvimento da arte em entrevista conduzida pelo fotógrafo, pesquisador e editor de livros sobre os primórdios da fotografia no Brasil, Pedro Karp Vasquez. Dom João vai apresentar imagens de família e fotografias próprias. Pedro Vasquez vai ajudá-lo traçando as relações históricas ao longo da entrevista “De Dom Pedro a Dom João: a família imperial brasileira”.

Outro encontro de destaque é o fotógrafo italiano radicado no Rio, Dario de Dominicis, que se dedica a projetos documentais. Ele vai compartilhar experiências fotográficas recentes, da festa de São Francisco em Canindé, no Ceará, ao estado de abandono e degradação da pesca artesanal na Baía de Guanabara, entre outros temas.

Além das imagens documentais, as intervenções digitais ganham espaço na entrevista com Milton Montenegro e Levindo Carneiro que, além de viverem a transição para o digital, produzem trabalhos que apontam em direção à modelação 3D e realidade artificial.

A fotografia das ruas e da gente brasileiras, feita por fotógrafos populares estará representada. Uma conversa franca sobre a presença da fotografia em comunidades pobres e periféricas, sobre inclusão e autorrepresentação, reúne os profissionais Ratão Diniz, formado na Escola de Fotógrafos Populares da favela da Maré, e Marcus Vini, um dos criadores da Semana da Fotografia de Madureira.

Arthur Pugliese e João Machado vão tratar da fotografia como obra e construção. Pugliese representa o Coletivo Mestres da Obra, que implementa ateliês em canteiros de obras. João Machado, que foi pedreiro, vai apresentar sua obra fotográfica com registros poéticos sobre o sertão, a cultura popular e suas celebrações.

A programação completa está em www.pefparatyemfoco.com.br