Edição 308Setembro 2020
Sexta, 23 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado em 7/12/2015 - 5:15 pm em | 0 comentários

Divulgação

Corretores de seguros vão às ruas para esclarecer o atendimento do Dpvat

Ação semelhante aconteceu na capital e se repetirá em diversas cidades do Estado

Corretores de seguros vão às ruas para esclarecer o atendimento do Dpvat

Corretores de seguros associados ao Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo (Sincor-SP), juntamente com a ONG Terapeutas do Trânsito, estarão amanhã, às 12 e às 17 horas, no cruzamento da Avenida Ana Costa com a Rua Carvalho de Mendonça, em Santos. O objetivo é alertar a população que o atendimento do Dpvat é gratuito e que não há custo algum para receber a indenização.

A ação faz parte da campanha “Dpvat – Corretores de Seguros Juntos com Você” promovida pelo Sincor-SP. Além da capital, 25 cidades paulistas, nas quais o Sindicato possui escritórios regionais, estão no roteiro da iniciativa.

“Ao enfatizar que o atendimento do DPVAT é um direito e que os corretores de seguros estão à disposição de vítimas e familiares para orientar sobre o recebimento do seguro sem qualquer custo, estamos destacando, mais uma vez, nosso papel como agentes do bem-estar social”, explica o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo.

Os corretores de seguros e a trupe de clowns Terapeutas do Trânsito vão interagir com motoristas e pedestres. “A importância dessa campanha está na conscientização da população sobre recebimento gratuito das indenizações em casos de acidentes de trânsito”, afirma o diretor da Regional Santos do Sincor-SP, Rogério Freeman.

O coordenador do departamento Social do Sincor-SP, Luiz Morales, explica que poucos conhecem a dinâmica para atendimento do Dpvat, que é um direito de todas as vítimas. “Uma das consequências mais nefastas desse desconhecimento é o aparecimento, em momento delicado para as pessoas e para os familiares, de pessoas inescrupulosas, que se valem da situação para intermediar o atendimento desse seguro, cobrando uma porcentagem por algo que não deve ter custo financeiro algum”, diz Morales.

Fragilizados pela tragédia, muitos aceitam a interferência. Em lucrativo golpe, os intermediários cobram 30% do valor da indenização. Assim, por exemplo, nos casos de morte ou invalidez permanente, embolsam mais de R$ 4 mil, uma vez que a indenização é de R$ 13.500. Já o Sincor-SP, por meio de seus 30 escritórios regionais, oferece um serviço gratuito de orientação à população, além de auxiliar, também sem ônus, na entrada e andamento dos processos para recebimento dos valores.

O DPVAT – Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres foi criado por lei federal em 1974. Indeniza por morte ou invalidez (parcial ou total) permanente e reembolsa despesas comprovadas com atendimento médico-hospitalar. Refere-se exclusivamente a danos pessoais causados por acidentes de trânsito, inclusive causados por queda de carga, e não prevê cobertura de danos materiais causados por colisão, roubo ou furto de veículo.

A obrigatoriedade é que garante o pagamento, em todo o território nacional, da indenização a motoristas, passageiros (veículos de passeios ou coletivos) ou pedestres vítimas de acidentes independentemente de apuração de responsabilidade ou identificação do veículo.

O valor arrecadado tem a seguinte distribuição:

50% pagamento de indenizações, constituição de reservas e despesas operacionais.

45% SUS (Sistema Único de Saúde)

5% Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) para investimento exclusivamente em programas de prevenção de acidentes de trânsito.

Valores das indenizações:

R$ 13.500 – por morte

Até R$ 13.500 por invalidez permanente. O valor é definido conforme a gravidade das sequelas e de acordo com os percentuais da tabela de seguro da Lei 6.194/74.

Até R$ 2.700 de reembolso por despesas médico-hospitalares. Valor variável conforme a soma das despesas cobertas e comprovadas, aplicando-se os limites definidos nas tabelas autorizadas pela Susep.

Responder