Edição 308Setembro 2020
Segunda, 19 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado em 14/10/2019 - 7:23 am em | 0 comentários

Divulgação

Cabines de descanso para motoristas são apresentadas na Fenatran

Solução da SleepBoll beneficia caminhoneiros

Cabines de descanso para motoristas são apresentadas na Fenatran

A Fenatran acontece de hoje a sexta-feira, na capital paulista, e um dos destaques da 22ª edição do Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Cargas será a cabine de descanso para motoristas, que será apresentada no espaço da startup SleepBoll, que idealizou o projeto. Leia sobre o evento no blog www.veiculosenegocios.blogspot.com.br

De acordo com o CEO da SleepBoll, Luciano Paixão, o objetivo é expor a solução integrada ao setor, de economia compartilhada que favorece por inovação e tecnologia tanto investidores como a sociedade em geral. A expectativa é receber mais de 60 mil visitantes no exemplar do pequeno quarto destinado aos motoristas do Brasil e ao cumprimento da Lei dos Caminhoneiros.

A implantação das cabines de descanso para motoristas nas rodovias do Brasil é uma realidade que deve ser financiada pela iniciativa privada do setor petroquímico, seguradoras, transportadoras e grandes indústrias que serão beneficiadas pelo projeto. De acordo com estudos da SleepBoll, são necessárias 500 mil unidades para atender a demanda nacional tanto para os caminhoneiros como para viajantes a trabalho em geral.

“Além de desenvolver os pequenos dormitórios, visando eficiência, desenvolvemos algoritmo de inteligência artificial para dobrar a produtividade e a rentabilidade por veículo de longa distância através de hot seat, que é o revezamento de motoristas no tempo e local certo de parada técnica para reabastecimento”, diz Luciano.

Enquanto o caminhão prossegue o seu itinerário intermitentemente, o sistema é interconectado por meio de API (interface de programação de aplicações) com as gerenciadoras de riscos responsáveis, evitando o desperdício e ineficiência com a ociosidade de veículos que chega ao montante de R$ 700 mil parados servindo de alojamento e aumentando o risco de assaltos – “o que é inconcebível em pleno século XXI”, completa: “Isso, fora o custo médio anual de 250 mil reais com o tempo de parada por veiculo de longas distâncias, causando um impacto econômico em efeito cascata superior a 20 bilhões de reais ao ano para os autônomos, transportadoras, indústrias e consumidores”.

O CEO da SleepBoll lembra que nos últimos 20 anos foram 400 mil vidas perdidas nas estradas: “No mesmo período, mais de duas milhões de pessoas ficaram incapacitadas em acidentes de trânsito”.

O Brasil ocupa o 4° lugar no ranking mundial no número de vítimas no trânsito: a fadiga e o sono são responsáveis por 40% das vítimas, segundo a Organização Mundial da Saúde. Por esse motivo, a Federação assinou protocolo da Agenda 2030 da ONU, cuja a meta é a redução de 50% da violência no trânsito que, mundialmente, registra 3700 mortes de pessoas por dia. Quanto ao benefício para os postos que já possuam 20 cabines instaladas, há incremento ao faturamento do estabelecimento de sete milhões de reais ao ano, devido ao fluxo recorrente dos frotistas e ao consumo anual de combustível global de 14 bilhões de litros de combustível.

“Há quatro anos da implementação da Lei dos Caminhoneiros, uma sequência de alterações relacionadas à jornada de trabalho do motorista profissional foi implementada visando o avanço e a segurança do setor. A solução da SleepBoll para o segmento é a instalação do projeto IOT-B2B nos postos de combustíveis e pedágios nas rodovias brasileiras. São cabines de dormir no formato modular, com climatização e automação embarcados, podendo ser reservada online ou locada diretamente no local ao valor de 12 reais a hora. Elas estão em conformidade com o Plano Gerenciamento de Riscos (PGR)”, explica.

A solução da SleepBoll como plataforma de economia compartilhada é promover benefícios para os caminhoneiros quanto à qualidade de vida, prevenção de acidentes e descanso em cabine climatizada, todos direitos do trabalhador. Evita-se, assim problemas relacionados à saúde ocupacional como estresse, depressão, saúde intelectual e física.

Responder