Edição 284Setembro 2018
Quarta, 17 De Outubro De 2018
Editorias

Publicado em 9/10/2018 - 8:12 am em | 0 comentários

Divulgação

Brasil promove Diálogo Talanoa sobre Mudanças Climáticas

Evento é inspirado em prática de povos do Pacífico

Brasil promove Diálogo Talanoa sobre Mudanças Climáticas

O Brasil sediará na sexta-feira, 19 de outubro, uma edição global do Diálogo de Talanoa sobre Mudanças Climáticas. Na ocasião, será apresentada uma análise com foco na realidade brasileira sobre o Relatório Especial do Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC), que aborda os cenários das mudanças climáticas.

Nesta semana, cientistas do IPCC e delegações governamentais estão trabalhando na conclusão deste estudo, que mostra o que o mundo precisa fazer para limitar o aquecimento global em 1,5º C  acima dos níveis pré-industriais. Especula-se que este relatório será o mais crítico e controverso sobre a mudança do clima dos últimos anos.

Um dos destaques da programação do evento é a fala de Paulo Artaxo, membro do IPCC, professor titular no Instituto de Física da USP e membro da coordenação do Programa Fapesp de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais, que desdobrará os pontos mais importantes do relatório que divulgado hoje globalmente.

O evento acontecerá no Rio de Janeiro, com realização do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds) e coorganização do Museu do Amanhã e do Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG). Tem patrocínio do Bradesco, Grupo Banco Mundial, Itaú, Santander e Shell. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.cebds.org

“O propósito do Diálogo Talanoa no Rio será conversar sobre o papel de grandes empresas no cumprimento do Acordo de Paris, além de estimular a participação da sociedade brasileira no combate às mudanças climáticas. Também ouviremos o Secretário de Mudança do Clima e Florestas do Ministerio do Meio Ambiente, Thiago Mendes”, informa Marina Grossi, presidente do Cebds.

Segundo tradição de povos das ilhas Fiji, decisões para um bem maior devem ser tomadas por meio de um diálogo inclusivo, participativo e transparente. Este processo de comunicação recebe o nome de Talanoa e foi adotado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a Mudança do Clima (Unfccc).