Edição 285Outubro 2018
Domingo, 18 De Novembro De 2018
Editorias

Publicado em 14/09/2018 - 8:11 am em | 0 comentários

Reprodução

Autonomia e protagonismo dos brasileiros com síndrome de Down

“aTiva 21”: ampliar o debate e troca de informações acerca da Trissomia do 21

Autonomia e protagonismo dos brasileiros com síndrome de Down

Educar e capacitar para a sociedade inclusiva é uma das missões da “aTiva 21”, conferência concebida para acessibilizar conhecimentos científicos atualizados e inovadores sobre a Trissomia do 21 no país. Nos próximos dias 21 e 22, no Centro de Convenções Rebouças, em São Paulo, associações especializadas, agentes públicos, universidades, instituições de pesquisa, escolas, empresas e profissionais da área de saúde e educação vão se reunir para debater e trocar experiências sobre os diversos aspectos que influenciam a vida de quem nasceu com a Trissomia do 21, popularmente conhecida como síndrome de Down.

Segundo a organizadora Emília Gama, o evento tem como foco trazer protagonismo, qualidade de vida e autonomia para os brasileiros que têm a síndrome, além de informações para que a sociedade possa se tornar mais inclusiva: “Queremos mostrar iniciativas que deram certo, nas áreas de Educação, Trabalho e Autonomia/Vida Independente. Além de incentivar o debate, estudos e pesquisas acerca do tema, entre os diversos atores sociais interessados: associações, centros de estudos e pesquisas, profissionais e familiares, entre outros, para que tenham acesso aos conteúdos discutidos e possam ampliar o debate, visando proporcionar mais independência para os jovens com a Trissomia do 21 em seu dia a dia”.

Na ocasião será lançado o Guia de Estimulação “Abordagem Transdisciplinar na síndrome de Down”, que contém informações com bases científicas, de forma precisa e uniforme, levando aos profissionais que atuam na área melhores condições para atenderem com maior segurança e eficácia pacientes e alunos com a Trissomia do 21. Também será apresentada ao público a primeira fase do estudo de pesquisa intitulado “Associação entre qualidade do sono, níveis de atividades físicas, proficiência motora e composição corporal em jovens com síndrome de Down”, que será sediado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), em colaboração com a Mississippi State University, nos Estados Unidos. Espera-se que este estudo forneça evidências para embasar políticas públicas de prevenção e combate às desordens do sono, inatividade física, obesidade e insuficiência motora em jovens com Trissomia do 21 e também será um dos destaques do evento.

A aTiva 21 2018 está alinhada com os valores e princípios expressos na Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, ratificada pelo Brasil com equivalência de Emenda Constitucional e efetivados na Lei Brasileira de Inclusão de Pessoas com Deficiência- LBI. “O processo de inclusão no Brasil, já tem conquistas e avanços significativos. Por outro lado, ainda temos muito para construir e avançar, no sentido da consolidação de direitos adquiridos”, ressalta Emília. Esta é a intenção da aTiva 21 2018: estabelecer canais de diálogo e de disseminação da informação entre a comunidade científica e a sociedade civil organizada. “Ambos os polos têm muito a aprender um com o outro”, afirma a Emília.

Mais em www.ativa21.com.br