Edição 308Setembro 2020
Sexta, 23 De Outubro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 303 Abril 2020

Acervo FAMS

Teatro como forma de autoconhecimento

Renata Zhaneta: “Recebi uma grande herança do Roberto Peres”

Teatro como forma de autoconhecimento

A atriz, diretora, preparadora corporal, dubladora, cantora e professora de interpretação, Renata Zhaneta foi entrevistada pelo Programa Memória-História Oral em 9 de outubro de 2019, no Salão Camoniano do Centro Cultural Português de Santos. Em seu depoimento, Zhaneta nos conta sobre suas memórias de infância e juventude, sua vida pessoal e sua trajetória artística.

RENATA Zhaneta nasceu em Mirassol, interior de São Paulo, em 22 de novembro de 1959, e aos seis anos mudou-se com a família para Santos. Já nessa idade mostrava que a vida no palco seria seu caminho: “Brincava muito de rainha e sempre estava com vestido de baile. Adorava representar”. Com apenas 10 anos encarou seu primeiro desafio, no Colégio Coração de Maria, difícil até para atores experientes: “Fui convidada para fazer um monólogo na escola, que durava cerca de uma hora. Fiz o papel de uma garota órfã. Não me lembro do texto, mas lembro da luz que vinha de uma janela”, diverte-se com a lembrança de infância.

Ainda jovem passou por vários grupos teatrais, entre eles o do Clube XV, onde encontrou o diretor Belarmino Franco, uma de suas referências, ao lado de Tanah Correa, seu professor no extinto Caiçara Clube. Aos 19 anos ingressou na faculdade de Psicologia da Universidade Católica de Santos e entrou para o movimento estudantil, que lutava pela redemocratização do país: “Participar daquele movimento foi fundamental para minha formação como ser humano e como atriz”.

Como o teatro ainda não lhe rendia o suficiente, Renata foi conciliando a vida de atriz com as aulas de inglês que ministrava e, em outro momento, com o trabalho de assessora parlamentar. Nesse período, passou a trabalhar com a diretora santista Neyde Veneziano: “Foram sete anos incríveis fazendo teatro popular, teatro de revista e operetas”.

Nos anos 1990 Renata foi morar definitivamente na capital paulista, onde trabalhou com grandes mestres das artes, a exemplo de Wladimir Capella, Eduardo Tolentino, Celso Frateschi e Regina Galdino, entre outros. A partir daí foram 23 anos de inúmeras atuações no teatro, cinema, tevê, comerciais e performances, aliado com o trabalho na formação de novos atores e com a conquista de vários prêmios, como o APCA de Melhor Atriz, em 2007.

Em 2014 Zhaneta recebeu o convite para assumir a direção da Escola de Artes Cênicas Wilson Geraldo, que funciona nas dependências do Teatro Guarany: “Recebi uma grande herança do Roberto Peres (antigo diretor). Já tinha conhecimento que era um local em que se respirava arte”.

Sobre o teatro, sua grande paixão, Renata o encara como uma ferramenta de autoconhecimento: “Ele dá chance ao ator de olhar para ele mesmo, de se questionar e de se transformar”.

A entrevista completa de Renata Zhaneta pode ser acessada no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube, em www.youtube.com/c/programamemoriahistoriaoral

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br

Responder