Edição 318Julho 2021
Terça, 03 De Agosto De 2021
Editorias

Publicado na Edição 312 Janeiro 2021

Arquivo Pessoal

Literatura com magia, suspense, diversão

Literatura com magia, suspense, diversão

Autora de quase 50 livros, Helena Gomes gravou seu depoimento ao Programa Memória-História Oral em 25 de maio de 2017, no estúdio da Universidade São Judas – Campus Unimonte. Autodefinida como escritora e nerd dos velhos tempos, Helena conta sobre sua paixão pela criação de histórias com magia, aventuras movimentadas, tramas de suspense e romances divertidos.

Helena Gomes nasceu em Santos em 12 de setembro de 1966, e passou boa parte de sua infância e adolescência no bairro da Vila Belmiro. Estudou nos colégios Olavo Bilac e do Carmo, onde fez o curso de Tradutor e Intérprete, e a graduação em Jornalismo foi cursada na Faculdade de Comunicação da Universidade Católica de Santos. Com livros adotados em escolas e selecionados por programas como Biblioteca Itaú Criança, Programa Nacional Biblioteca da Escola, Programa Nacional do Livro e Material Didático Literário, Minha Biblioteca e Apoio ao Saber, Helena foi vencedora do Prêmio Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) 2019, na categoria Reconto, e quatro vezes finalista do Prêmio Jabuti, o mais importante da literatura brasileira.

Cinco livros seus receberam o selo Altamente Recomendável da FNLIJ, e tem obras escolhidas para representar a Literatura Brasileira no catálogo Selection of Brazilian Writers, Illustrators and Publishers da FNLIJ para a Feira do Livro Infantil de Bolonha (2015, 2017, 2018 e 2019) e na Machado de Assis Magazine nº 6, editada pela Biblioteca Nacional e lançada no Salão do Livro de Paris em 2015. Participa ainda de antologias, como Geração Subzero (Record, 2012), Ficção de Polpa 3 (Não Editora, 2009), O Livro Negro dos Vampiros (Andross, 2007), Dias Contados (Andross, 2009), Marcas na Parede (Andross, 2009), Meu Amor é um Vampiro (Draco, 2010) e Medieval (Draco, 2016).

Em 2020 Helena Gomes lançou Uma Aventura Corsária (Edelbra), que pode ser classificada como literatura fantástica: dedicada ao público infanto-juvenil, narra uma aventura pelos mares no período das grandes navegações, com seres humanos e criaturas mitológicas como a Iara e o Hipupiara. Na história, temas polêmicos para que os jovens leitores reflitam, como a escravidão, a questão indígena e a de gênero: “A personagem principal é uma mulher escrava que deseja a liberdade”, conta a autora.

A obra narra um ataque à Vila de Santos no dia de Natal, fato que realmente ocorreu no século XVI, com os corsários comandados pelo pirata Thomas Cavendish. Segundo a autora, “coloco esses fatos no livro até como uma espécie de homenagem, pois acho legal mostrar para as pessoas que eles realmente aconteceram”. Com ilustrações do designer gráfico e cartunista Rodrigo Rosa, o livro ainda menciona o padre José de Anchieta e o monstro marinho Hipupiara, que fazia parte da mitologia dos povos tupis que habitavam o litoral do Brasil naquela época.

A entrevista completa de Helena Gomes está no canal oficial do Programa Memória-História Oral no Youtube, em www.youtube.com/c/programamemoriahistoriaoral

Conheça o trabalho desenvolvido pela Fundação Arquivo e Memória de Santos: acesse o site www.fundasantos.org.br

Responder