Edição 275Dezembro 2017
Domingo, 17 De Dezembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 261 Outubro 2016

Divulgação

Marco reabrirá em dezembro

Marco das Três Fronteiras, em Foz do Iguaçu: mais atrações para contemplar Brasil, Argentina e Paraguai

Marco reabrirá em dezembro

A visitação turística ao Marco das Três Fronteiras, no bairro Porto Meira, a cerca de 14 quilômetros do centro de Foz do Iguaçu, no Paraná, está suspensa desde 20 de outubro, visando intensificar as obras de construção da segunda fase de revitalização do Marco e garantir mais segurança aos turistas que visitam o atrativo para contemplar as fronteiras entre Brasil, Argentina e Paraguai. A abertura da visitação para o público está programada para 18 de dezembro.

Neste momento estão sendo finalizadas as obras do Centro de Visitantes e implantação de uma Vila Cenográfica, Praça das Missões, Praça das Três Fronteiras e Praça de Entrada. Também será entregue um amplo mirante de contemplação, show de luzes e águas, bicicletário, estacionamento, passarela de acesso, bilheteria, serviço de apoio ao turista, paisagismo, parque infantil e o restaurante Cabeza de Vaca. A infraestrutura garantirá mais atrações, comodidade, lazer, segurança e total acessibilidade com ambientação histórica e cultural.

O investimento de mais de R$ 27 milhões é feito pelo Grupo Cataratas, que detém a concessão do Complexo Turístico Marco das Américas por 15 anos. A revitalização do espaço ajudará também no desenvolvimento dessa importante região do município, que já abriga outro ponto turístico, a Ponte Tancredo Neves, ligando Brasil e Argentina.

O Marco das Três Fronteiras oferece geografia única no planeta, com a união dos três países e dos rios Iguaçu e Paraná. Os visitantes ganharão um marco revitalizado, com atrações turísticas para celebrar a união dos países, a mistura de culturas e belezas naturais, resgatando a história fortemente relacionada às Missões Jesuíticas.

Paralelamente às edificações e obras de infraestrutura, o local está recebendo grandes intervenções da cenografia temática, que fará reproduções da arquitetura das reduções jesuíticas, povoados indígenas organizados por jesuítas no continente americano, durante os séculos 17 e 18.

Os jesuítas e os índios guaranis viveram nesta ampla extensão de terras, que hoje integra parte do Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai. Neste território, eles construíram um bem-sucedido sistema social que integrou mais de 100 mil pessoas. Das 30 reduções jesuíticas identificadas no Cone Sul, sete estão no Leste do Paraguai e 14 no Norte da Argentina, muito próximas à fronteira com Foz do Iguaçu. Tudo isso em um raio de 300 km.

As projeções da arquitetura cênica farão uma ambientação das Missões Jesuíticas nos principais pontos do atrativo, passando pela história do desbravador Cabeza de Vaca, primeiro homem branco a ver as Cataratas do Iguaçu, uma Maravilha Mundial da Natureza; dos tratados internacionais delimitando as fronteiras dos três países; da fundação da cidade de Foz do Iguaçu; das referências das Três Fronteiras e do Marco das Três Fronteiras brasileiro. Serão utilizados recursos de entretenimento, tecnologia, educação e artes para envolver os visitantes nesta história.

O conceito do restaurante Cabeza de Vaca buscará despertar os sentidos do visitante com o cenário, a gastronomia, o clima, as companhias e a energia que emana dos rios, das fronteiras e da mata.

brasil_festival-cataratas

Cataratas: protagonista do maior evento fixo de Foz do Iguaçu

Festival 2017 celebra o Ano do Turismo Sustentável

Em 2017, ano em que a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora o Ano do Turismo Sustentável, o Festival das Cataratas será realizado de 28 a 30 de junho, no Rafain Palace Hotel & Convention. A data foi definida após reunião entre os organizadores e parceiros do maior evento fixo de Foz do Iguaçu e o segundo maior de turismo da região Sul.

Em 2016, 7.043 pessoas participaram do Festival, representando todos os estados brasileiros e outros 12 países, um volume 12% maior em relação a 2015. A Feira de Turismo e Negócios, também ampliou seu espaço em 18% comparado ao ano passado.

Já consolidado como um dos maiores eventos técnico-científicos do setor, o Fórum Internacional de Turismo do Iguassu reuniu 1.155 estudantes de todo o Brasil. O evento bateu recorde no número de participantes e trabalhos submetidos (264) de sua história. Para 2017, o tema será “Turismo e Cidades Criativas”.

A responsabilidade socioambiental sempre foi uma característica do Festival. Por isso, desde 2012 o evento compensa suas emissões de gases poluentes – provenientes de atividades como montagem e desmontagem das estruturas do evento, uso de água e energia, e as viagens dos participantes – resultando no selo “Evento Sustentável”.

A ação fez com que o Festival recebesse o Selo ODM (Objetivos de Desenvolvimento do Milênio) – Qualidade de Vida e Respeito ao Meio Ambiente e integrasse uma comissão que tem como objetivo articular e mobilizar ações em prol dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em Foz do Iguaçu.