Edição 285Outubro 2018
Quinta, 15 De Novembro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 285 Outubro 2018

Vendas e lançamentos crescem na Baixada Santista

Estudo do Secovi-SP demonstra que o mercado imobiliário da Baixada Santista está em ritmo de recuperação. Entre julho de 2017 e junho de 2018, foram lançados 3.739 imóveis na região, desempenho 32,8% superior ao verificado nos 12 meses acumulados no período anterior, de julho de 2016 a junho de 2017. Em termos de vendas, foram comercializados 2.941 imóveis no mesmo período, número 66,1% maior que o registrado no período avaliado, quando as vendas totalizaram 1.771 unidades. Nos 12 meses acumulados até junho deste ano, o VGV (Valor Global de Vendas) atingiu R$ 1,2 bilhão. “Essa cifra é 61,9% maior do que a auferida pelo mercado entre julho de 2016 e junho de 2017, quando vendemos um total de R$ 712 milhões”, revelou Carlos Meschini, diretor regional do Secovi-SP na Baixada Santista. Assim, quatro cidades da Baixada Santista – Santos, Guarujá, São Vicente e Praia Grande – fecharam junho com 4.050 imóveis em oferta, sejam eles na planta, em construção ou em estoque, já prontos e lançados nos últimos 36 meses.

O indicador VSO dos 12 meses analisados (julho de 2017 a junho de 2018) ficou em 42,1%, representando crescimento em relação aos 29,9% apontados no período anterior. O VSO apura a porcentagem de vendas em relação ao total de unidades ofertadas.

Os imóveis de 2 dormitórios destacaram-se na maioria dos indicadores entre julho de 2017 e junho de 2018, registrando a maior quantidade de vendas (1.256 unidades), de oferta (1.602 unidades) e o maior VGV (R$ 507,4 milhões). A maior quantidade de lançamentos foi dos imóveis de 2 dormitórios econômicos, com 1.339 unidades. O melhor desempenho de comercialização foi dos imóveis de 1 dormitório econômico – 53,8% das unidades foram vendidas.

Quando se considera o tamanho dos imóveis, aqueles com metragem entre 45 m² e 65 m² lideraram em lançamentos (1.113 unidades) e em vendas (976 unidades) nos últimos 12 meses encerrados em junho. Os imóveis com preços entre R$ 230 mil e R$ 500 mil se destacaram em quase todos os indicadores. No período de julho de 2017 a junho de 2018, essas unidades registraram a maior quantidade de vendas (1.361 unidades), de oferta (1.221 unidades), VGV (R$ 468,9 milhões) e o melhor desempenho de comercialização, com VSO de 52,7%. Já em lançamentos, o destaque foi para os imóveis com preço inferior a R$ 230 mil, atingindo 1.541 unidades.

Em junho de 2018, o preço médio por metro quadrado de área privativa dos imóveis residenciais verticais foi de R$ 5,6 mil, mantendo a estabilidade em relação a igual período do ano passado. Os valores médios praticados de venda dos imóveis, no período analisado de 36 meses (julho de 2015 a junho de 2018), foram: R$ 197 mil (1 dormitório econômico), R$ 347 mil (1 dormitório), R$ 213 mil (2 dormitórios econômicos), R$ 400 mil (2 dormitórios), R$ 723 mil (3 dormitórios) e R$ 1.810 mil (4 ou mais dormitórios).