Edição 301Fevereiro 2020
Segunda, 24 De Fevereiro De 2020
Editorias

Publicado na Edição 300 Janeiro 2020

Anderson Bianchi/Secom-PMS

Confiança no mercado imobiliário!

Beschizza: “Incentivo à produção no segmento da construção civil traz consigo toda a cadeia do ‘construbusiness’”

Confiança no mercado imobiliário!

Ricardo Beschizza

As perspectivas econômicas para este ano parecem trazer horizontes mais otimistas. Mesmo com as instabilidades internacionais do início de 2020, o sentimento do empresariado brasileiro – especialmente do segmento da construção civil e indústria imobiliária – é de retomada, depois de um longo período de crise.

No último trimestre de 2019 e nos próximos meses, os diversos lançamentos em Santos e cidades da região indicam a abertura de novos postos de trabalho, fazendo girar a economia local, gerando impostos e colaborando para a renovação urbana.

Além dos lançamentos imobiliários que já estão em maturação ou em andamento, outras obras de vulto, com certeza, vão gerar ainda mais empregos na região. Além das obras da entrada de Santos e da nova Ponta da Praia, que estão absorvendo um bom contingente de trabalhadores da construção civil, assim que o novo shopping e o complexo logístico com aeroporto de carga – em Praia Grande – começarem a serem erguidos, mais uma quantidade considerável de vagas serão ofertadas nessas duas novas frentes de trabalho.

Vale ressaltar que o incentivo à produção no segmento da construção civil traz consigo toda a cadeia do “construbusiness” – desde a indústria de base, até o produto final e tudo mais que precisamos colocar dentro de um lar antes de habitá-lo.

A baixa nos juros e o aumento da oferta e modalidades de crédito imobiliário também são balizadores positivos de que a retomada do setor seguirá bons passos.

Havendo emprego a economia gira! E é isso que ainda está faltando para que nossa região volte a sentir os bons efeitos de desenvolvimento. Ao estar empregado e estabilizado financeiramente, o cidadão consegue melhor planejar o seu consumo e todos os setores ganham com isso.

Por conta de todos os problemas econômicos e políticos que vivemos nos últimos anos, com recordes e recordes no índice de desemprego, acabamos vendo surgir novos “modelos” de geração de renda, grande parte marcada pela informalidade.

Contudo, um ponto positivo (se é possível classificar assim) fica de tudo isso: o brasileiro não desiste nunca! Na necessidade de subsistir, ele procura se adaptar da melhor maneira possível prestando serviços de toda ordem. Como resultado de tudo isto, aumentou muito o número de MEIs (Micro Empresa Individual) que surgiram nos últimos anos, fruto da batalha contra as adversidades da economia.

Que o sentimento de otimismo vivido nos dias de hoje virem logo realidade. Muito ainda há de ser feito, seja em nível federal, com as reformas que o povo brasileiro espera (política e tributária, principalmente), e nas esferas estaduais e municipais, com a eficiência e maior controle nos gastos, fazendo valer o nosso suado dinheiro dos impostos e resultar em desenvolvimento.

2020 é ano de eleição. Ano de analisarmos tudo que temos passado no campo político e trabalhar para que a nossa representação esteja focada na defesa dos interesses comuns de todos nós. É hora da sociedade civil – de forma organizada – se unir e deixar de lado toda a passividade que acabou adotando, esperando que os governantes resolvam nossos problemas, assumindo o protagonismo que lhe cabe, fazendo com que as instituições públicas atendam os verdadeiros anseios e necessidades da coletividade.

Ricardo Beschizza é engenheiro civil e presidente da Associação dos Empresários da Construção Civil da Baixada Santista (Assecob).

Responder