Edição 284Setembro 2018
Terça, 25 De Setembro De 2018
Editorias

Publicado na Edição 281 Junho 2018

Divulgação

Salvador terá plano de resiliência

Ação é realizada em outros três países da América Latina

Salvador terá plano de resiliência

A Iniciativa Regional de Cidades Resilientes está sendo implantada em Salvador, na Bahia, com o objetivo de implementar instrumentos de envolvimento do setor privado no desenvolvimento dos planos de resiliências das cidades. A ação faz parte do Projeto 100 Cidades Resilientes (100RC), fruto de parceria entre a Fomin, o fundo multilateral de investimentos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e a Fundação Avina, e visa melhorar a resiliência urbana. Além de Salvador, o projeto é realizado em outras três cidades da América Latina: Buenos Aires, na Argentina, Quito, no Equador e Cidade do México, no México.

Denominado “Gerando Valor para o Setor Privado na Estratégia de Resiliência de Salvador”, o programa da capital baiana foi elaborado junto com a Prefeitura e é baseado no conceito de economia resiliente – que pode ser definida como a capacidade de recuperação frente a um impacto. A iniciativa conta com quatro frentes de trabalho:

. Fortalecimento do ecossistema de atores, políticas e iniciativas para a resiliência urbana no município;

. Fomento da inovação para a resiliência – serão lançados dois editais para o apoio de até três projetos inovadores;

. Apoio e incubação das inovações selecionadas;

. Criação de um laboratório de resiliência urbana na América Latina com o objetivo de articular atores e iniciativas para facilitar um intercâmbio de experiências, modelo de negócios, conhecimentos e tecnologias.

Segundo o secretário de Sustentabilidade e Inovação, André Fraga, o acordo é importante para Salvador porque fomenta o desenvolvimento sustentável e promove uma economia resiliente: “A criação de um hub de resiliência urbana é sem dúvida um grande avanço para a América Latina”.

Para Adriana Campelo, diretora de Resiliência de Salvador, a construção da estratégia na capital baiana é colaborativa com vários setores da cidade: “Muitas iniciativas e soluções já são implantadas ao longo da construção da estratégia. Com este evento estamos criando uma agenda em parceria com o setor privado e trabalhando aspectos práticos como o lançamento de editais de apoio a negócios resilientes”.

Eugene Zapata, diretor regional para a América Latina e o Caribe do projeto 100 Cidades Resilientes, avaliou que a iniciativa é importante porque permite dar um passo fundamental rumo à integração de esforços e setores para a construção da resiliência urbana na região, um dos centros urbanos mais densamente povoados do mundo. Como resultado da ação, serão apresentados:

. Ferramentas que fomentem a participação do setor privado na agenda de resiliência local;

. Mapeamento de atores, políticas e cenários de vulnerabilidade para desenvolvimento de uma economia resiliente;

. Propostas para a implementação de medidas de prevenção, gestão e respostas a estresse e desastres naturais e antrópicos, entre outros;

. Lançamento de dois editais para identificação de até cinco inovações que fortaleçam a economia resiliente e entre duas e três soluções convertidas em modelos de negócios sustentáveis.

“Integrar de forma efetiva o setor privado à estratégia de resiliência de Salvador é fundamental para o desenvolvimento e fortalecimento de uma economia resiliente na cidade, que gere valor para sociedade, empresas e seus negócios e para o município,” destaca a gestora da Agenda de Cidades Sustentáveis da Avina no Brasil, Marcela Mondino.

A Fundación Avina é uma organização latino-americana criada em 1994, focada em produzir transformações em grande escala para o desenvolvimento sustentável, através da construção de processos de colaboração entre atores de diferentes setores para impactar de forma positiva os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Ela tem identificado, incubado e apoiado espaços, instituições e iniciativas de colaboração por intermédio das melhores oportunidades de mudanças sistêmicas, tecnologias de futuro, iniciativas sociais inovadoras e novos modelos de negócios.

O projeto 100 Cidades Resilientes ajuda cidades ao redor do mundo a se tornarem mais resilientes diante dos desafios sociais, econômicos e físicos inerentes ao século XXI. O 100CR promove essa assistência por meio do financiamento para um Chefe de Resiliência em cada cidade que liderará os esforços de resiliência, com recursos para desenvolver uma estratégia de resiliência, acesso ao setor privado, público, acadêmico, ferramentas de resiliência de Ongs; e adesão em uma rede global de cidades parceiras para compartilhar as melhoras práticas e desafios.

Iniciativa faz parte do Projeto 100 Cidades Resilientes (100RC), fruto de parceria entre a Fomin, fundo do BID, e a Fundação Avina

 

Salvador: desafio de ser mais resilientes diante dos desafios sociais, econômicos e físicos inerentes ao século XXI