Edição 271Agosto 2017
Sábado, 23 De Setembro De 2017
Editorias

Publicado na Edição 265 Fevereiro 2017

Divulgação

Pensamentos que preocupam…

Baixa autoestima pode prejudicar rendimento no trabalho e afastamento de amigos e familiares

Pensamentos que preocupam…

A autoestima afeta diretamente o desempenho do indivíduo, alerta Eloiá Hosana, master coach e expert em Inteligência Emocional e Autoestima para Mulheres. “Muitas pessoas desconhecem a importância de manter uma boa autoestima”, afirma Hosana: “A pessoa que apresenta uma baixa estima de si mesma pode enfrentar inúmeras dificuldades em vários âmbitos de sua vida, como baixo rendimento no trabalho e afastamento de amigos e familiares”.

Segundo a especialista, é cada vez maior o número de mulheres que sofrem com a baixa autoestima: “O que mais me preocupa é observar que possuir problemas de autoestima tem se tornado algo tão comum, que as pessoas simplesmente passam a ignorar alguns ‘sinais’ de que algo não está certo consigo mesmas, apenas porque já o consideram algo normal e irrelevante”.

Idealizadora do programa “Mulher Poderosa”, Eloiá Hosana alinhavou alguns sinais de baixa autoestima:

Abalar-se com críticas: “A pessoa de baixa autoestima se sente frustrada por pequenas críticas, mesmo quando essas são insignificantes e nada construtivas. Além disso, ela sente uma grande necessidade de agradar a todos o tempo todo, muitas vezes passando por cima dos próprios valores, apenas para não decepcionar outras pessoas”.

Generalizar os problemas: “Se uma coisa não saiu como planejado, ela já começa a dizer que nada dá certo e desiste de tentar coisas novas, pois para ela será em vão. Além disso, é comum que a pessoa generalize sobre coisas negativas de si mesmas. Se ela faz algo de ruim e erra, como qualquer outro ser humano, ela já põe na cabeça que o erro aconteceu porque é uma pessoa ruim, que não faz nada certo e começa a se depreciar de forma exagerada por erros bobos”.

Comparação: “Quando a pessoa não tem uma boa imagem de si mesma, tudo o que acontece é motivo de comparação. Mas não uma comparação saudável. O indivíduo de baixa autoestima sempre compara sua vida e seus resultados às pessoas que estão em uma situação melhor que ele, se inferiorizando o tempo todo”.

Perfeccionismo: “As pessoas têm uma ideia distorcida de que ser perfeccionista é sinal de excelência, mas não é verdade. Ser perfeccionista é sinal de insegurança. A pessoa insegura de si tem o hábito de buscar compulsivamente pela perfeição. Ela foca sempre nos 10% que deram errado e não nos outros 90% que deram certo. Nunca valoriza os ganhos, mas enaltece as perdas e derrotas”.

Catastrofismo: “O indivíduo de baixa autoestima é pessimista demais e imagina sempre que o pior vai acontecer, em qualquer situação. Quando alguma coisa, até mesmo pequena, dá errado, já é motivo para que ele ache que qualquer outra coisa também dará e desanime ao primeiro problema que surgir”.

Dificuldade em receber elogios: “Essa pessoa tem dificuldade em receber elogios. Ela fica incomodada, como se não aceitasse recebê-los e tivesse que contestá-los o tempo todo”.