Edição 319Agosto 2021
Quarta, 22 De Setembro De 2021
Editorias

Publicado na Edição 318 Julho 2021

Divulgação

Nova geração de míopes

Aumento de casos em crianças e adolescentes

Nova geração de míopes

O isolamento social, o uso excessivo de celulares, tablets e computadores e a falta de exposição à luz solar estão entre as principais causas do aumento da miopia em crianças e adolescentes. A constatação é da Sociedade Brasileira de Lentes de Contato, Córnea e Refratometria (Soblec), que mantém campanha permanente sobre a importância do controle da miopia e saúde ocular por meio de entrevistas em seu perfil no Instagram. A miopia se caracteriza pela dificuldade de enxergar de longe e dependendo do grau de progressão pode evoluir para outras patologias, como catarata, glaucoma e deslocamento de retina. A doença é relativamente simples, se leve ou moderada, mas quadros graves estão associados a um risco de descolamento da retina, catarata precoce, degeneração macular e glaucoma.

Dados da OMS indicam que até 2050 metade da população mundial será míope. Dos 210 milhões de brasileiros, estima-se que 57 milhões têm miopia em algum grau de progressão. “Estimativas assustadoras”, sintetiza a médica oftalmologista Tania Schaefer, presidente da Soblec. O cenário, segundo a oftalmologista, exige que uma postura mais preventiva dos pais, que devem levar com mais frequência os filhos aos consultórios oftalmológicos, principalmente, antes da retomada das aulas presenciais. “Está comprovado que o déficit de aprendizagem também está relacionado a problemas na visão. A dificuldade de enxergar de longe prejudica a vida escolar, traz transtornos na hora da prática de exercícios físicos e também dificulta o convívio social, por exemplo”.

Ela esclarece que o aumento do tempo gasto em ambientes fechados e em atividades que implicam uma “visão de perto” desenvolve ou intensifica a miopia.

Responder