Edição 327Abril 2022
Terça, 17 De Maio De 2022
Editorias

Publicado na Edição 321 Outubro 2021

Hormônios x lipedema

O lipedema é causado pelo acúmulo de gordura nos braços, quadris e, principalmente, nas pernas, que provoca dores, problemas de locomoção e uma sensação de peso nesses membros. Hoje, a sociedade sabe um pouco mais sobre este assunto. Mas, quais são os gatilhos para esta doença, que acomete cerca de 10% das mulheres no mundo, segundo dados da Sociedade Espanhola de Medicina Estética (SEME)? E por que só mulheres?

Segundo Fábio Kamamoto, que dirige o Instituto Lipedema Brasil, em São Paulo, a doença depende dos hormônios femininos – o estrógeno e a progesterona – para se desenvolver. “Quando há o uso de anticoncepcional, o quadro de lipedema piora”, comenta o especialista: “No início da puberdade, na gestação, em que existe um pico hormonal muito grande, ou quando a mulher faz tratamento para engravidar, e mais para frente entra na menopausa, que traz um novo padrão hormonal, todos esses momentos da mulher tendem a ser gatilhos para esta doença”.

Várias linhas médicas e recentes estudos internacionais evidenciam que a disfunção do estrógeno pode ser central para o desenvolvimento do lipedema. Isto porque a desregulação de gordura que ocorre com a doença é causada pela sinalização desordenada deste hormônio. Em circunstâncias normais, o estrógeno interage com a gordura corporal para mantê-la saudável, evitando aumento do peso, por exemplo. Este desequilíbrio hormonal resulta em aumento da gordura corporal, em inflamação e, consequentemente, desregulação da gordura, ou seja, em lipedema.

Há dois tipos de tratamento para o lipedema, o clínico e o cirúrgico. O clínico é composto por dieta anti-inflamatória (legumes, carnes, sem sódio e glúten ou bebidas alcóolicas), uso de plataforma vibratória, drenagem linfática e, por fim, a técnica de taping, aplicada por um fisioterapeuta para melhorar o desconforto. O cirúrgico é feito com lipoaspiração e é definitivo.

Responder