Edição 314Março 2021
Quinta, 15 De Abril De 2021
Editorias

Publicado na Edição 314 Março 2021

Reprodução

Revestimentos de PVC antivirais

Tecnologia Nanox: capacidade de inativar 99% do SarS CoV-2

Revestimentos de PVC antivirais

A empresa de laminados Cipatex lançou no mercados revestimentos de PVC com ação contra fungos, bactérias e vírus, incluindo o Sars-CoV-2, por meio da nanotecnologia brasileira Nanox. A tecnologia conta com micropartículas de prata, que hoje é aplicada em diversos materiais utilizados no combate à Covid-19, como tecidos, vestuários, plásticos, que são capazes de inativar o Sars-Cov-2 por contato.

Os produtos da linha AV – Proteção Antiviral incluem os mercados automotivo, com revestimentos de assentos e pisos de ônibus, caminhões e vans; moveleiro, aplicados em sofás, poltronas, cadeiras, puffs, cabeceiras de cama e outros estofados; puericultura com ação em andadores, banheira, cadeiras para refeição, carrinhos para bebês; além do setor hospitalar, presente em cortinas de janelas hospitalares e divisórias de leitos, além de aventais e macacões para profissionais de saúde.

Os produtos saem da fábrica com os componentes que têm capacidade de inativar 99,72% do Sars CoV-2 em até três minutos. Para comprovar a eficácia, foram realizados testes no laboratório de biossegurança de nível 3 (NB3) do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), que demonstrou ser capaz de eliminar 99% de partículas do SARS-CoV-2.

“A prata é conhecida há muito tempo como um produto antimicrobiano e, com a chegada da pandemia, intensificamos os estudos da ação do componente contra o coronavírus, além de outros patógenos, como vírus, bactérias e fungos. A prata interage com a parede celular de tais agentes, o que os tornam inócuos em seu contato”, explica o co-fundador e diretor da Nanox, Daniel Minozzi.

Responder