Edição 327Abril 2022
Terça, 17 De Maio De 2022
Editorias

Publicado na Edição 327 Abril 2022

Guilherme Pucci/Divulgação

Foco na terceira idade

Projeto de Bruno Moraes Arquitetura: suíte foi adaptada com maior espaço de circulação

Foco na terceira idade

O projeto foi realizado para uma senhora repleta de disposição, que adora ter independência, mas também gosta de receber filhos e netos nos finais de semana para os tradicionais encontros de família. Neste contexto, atenta às limitações que chegam com a idade, gostaria que seu apartamento tivesse uma estrutura com mais mobilidade. O desafio foi aceito pelo arquiteto Bruno Moraes, do escritório que leva seu nome, na reforma do apartamento de 95 m², localizado na Vila Olímpia, capital paulista. Moraes aliou soluções inteligentes e estilo contemporâneo na decoração, realizando obras importantes e que facilitam o cotidiano do morador na terceira idade. “Neste apartamento, para conquistar uma circulação mais fluída, sala e cozinha foram integradas por meio da demolição de uma parede. Uma porta também foi retirada, permitindo a conexão da varanda, que recebeu a mesa de jantar, com o estar”, explicou o arquiteto. Com essa reorganização da planta do imóvel, todas as refeições passaram a ser abraçadas por um visual da cidade.

Na suíte principal foram efetuadas modificações. A ampliação abriu espaço para a criação de um closet, para a organização das roupas, e a cama foi colocada mais próxima da janela com o intuito de prover, do outro lado, uma passagem bem mais aberta. “Tanto o banheiro da suíte, quanto a sua porta de acesso e o box do banho foram ampliados. A alteração ocorreu a pedido, como uma preparação para necessidades futuras. Assim, caso um dia seja preciso utilizar cadeiras de rodas, ela usufruirá de maior conforto”, conta Bruno.

Moraes alinhavou dicas para a reforma do imóvel, quando o foco é um morador da terceira idade.

Revestimentos. Investir em revestimentos antiderrapantes para evitar escorregões, bem como eleger modelos de fácil limpeza, seja para o caso de o próprio idoso realizá-la sozinho, ou para alguém que cuide da residência.

Layout e mobiliário. Na hora de montar o layout interno, evitar a disposição de muitos objetos no meio do caminho, pois isso dificultará o deslocamento do morador idoso. “Quanto mais fluido for o ambiente, melhor será o espaço”, indica o arquiteto.

Circulação. Cuidado com o risco de prender a cadeira de rodas ou enganchar o andador em algum lugar. Pensando em uma locomoção segura, o ambiente não deve dispor de passagens apertadas, como também vãos de portas estreitos ou objetos que possam atrapalhar o deslocamento.

Barras de apoio e rampas. Principalmente com relação ao banheiro e outras áreas molhadas, incluir barras de apoio nas paredes para que o idoso possa se equilibrar e, até mesmo, conseguir tomar banho sozinho. Também vale incluir um banquinho com pés antiderrapantes, que servirá de apoio caso o morador sinta necessidade de sentar-se. Em casas com pequenas escadas, considerar a execução de rampa de acesso.

Sistemas de monitoramento e segurança. Conforme o caso (quando o morador com idade avançada fica com cuidador ou mesmo sozinho, enquanto o parente vai trabalhar), instalar sistema de monitoramento com câmeras, que garante a tranquilidade para acompanhar o que está acontecendo, mesmo de longe.

Fechadura Eletrônica. É essencial que algum familiar tenha uma cópia das chaves, ou então, invista em fechaduras eletrônicas. “Com a senha, o acesso ao imóvel para a prestação do socorro é facilitada. É possível também abrir uma porta remotamente, no caso de um médico que esteja chegando na residência, por exemplo”, comenta Bruno.

Altura dos móveis. Atenção com a ergonomia de móveis, como cadeiras, sofás e camas (especialmente do tipo box), pois o idoso tem mais dificuldade de se levantar sozinho. Verificar os tamanhos disponíveis – e, se possível, realizar experiência in loco. Outra solução é trabalhar com móveis sob medida.

Sensores. Atenção à possíveis vazamentos de gás, seja por esquecimento, ou pelo acionamento acidental, mediante instalação de sensores que avisam sobre problemas por meio da emissão de sinais sonoros ou mensagens de texto.

Temperaturas. Manter temperatura estável dentro de casa, além de evitar as mudanças bruscas entre ambientes, através de sistema de aquecimento/ventilação, para a regulagem e estabilidade da temperatura.

Alergias. Antes de começar a reforma, verificar se o morador sofre de eventuais alergias a materiais, tintas, ou outras substâncias – especialmente quando a obra ocorrer simultaneamente com a pessoa dentro de casa. Atenção na escolha de tecidos felpudos ou carpetes, pois podem causar rinites ou agravar problemas respiratórios.

Responder